ÁGUA BOA

QUEDA NO FRETE

Ministro Tarcísio diz que frete pode cair em até 40% com maior oferta de transporte ferroviário

Publicado em

Agricultura

Rio Verde (GO) – Obras de implantação do Polo de Cargas do Sudoeste de Goiás da Ferrovia Norte-Sul, trecho Rio Verde-Santa Helena de Goiás; Foto – Beth Santos/Secretaria Geral da PR.

O texto precisa ainda passar pela Câmara dos Deputados. A estimativa do ministro é que o acréscimo na oferta de transporte ferroviário possa gerar uma redução de frete de até 40%.

“Deve trazer competição para o setor de transportes, e proporcionando redução de frete, estamos considerando que pode atingir 40%”, disse o ministro em entrevista à CNN Brasil.

O Marco Legal das Ferrovias, está no senado desde 2018, e tem como principal avanço a liberação de um novo regime ferroviário no país, chamado de autorização. Nele, novos planos são traçados e construídos exclusivamente pelo interesse da iniciativa privada, sem licitação.

Como acontece e é muito comum em países como Estados Unidos e Canadá, o modelo nasce para atender demandas específicas de transporte de cargas, identificadas pelos próprios produtores e empresas.

Presidente da República, Jair Bolsonaro, e ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; Foto – Ricardo Botelho/MInfra.

Congresso

O projeto teve os trâmites de votação acelerados após o governo Bolsonaro editar uma medida provisória com conteúdo similar ao do projeto de lei aprovado no senado.

Leia Também:  Água Boa - Discussão sobre o Plano Diretor ganha força, empresários querem reunião com a administração; assista reportagem

O movimento do Planalto acabou irritando alguns dos senadores. Um acordo prevê que o Congresso deixe a MP perder a validade após seu prazo de 120 dias. Ao fim, o que deve valer é o texto do Legislativo, que ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados. No Senado, a proposta foi relatada pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Iniciativa privada

Desde que o governo editou a MP, empresas já manifestaram interesse em construir 19 novas ferrovias, com previsão de investimentos de R$ 81,5 bilhões, em 5,4 mil quilômetros de novos trilhos.

Segundo Tarcísio, a pasta ainda recebeu um pedido de autorização para reativação da Malha Oeste. O ministro, no entanto, não deu detalhes sobre a solicitação.

– REVISTA OESTE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agricultura

Em MT, plantio de soja está quase sete vezes mais acelerado do que em 2020

Publicados

em

A semeadura da safra de soja 2021/22 do Mato Grosso atingiu 20,31% da área projetada, conforme o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), com número obtido até 8 de outubro. No mesmo período do ano passado, o plantio estava em 3,02%. Na semana passada, o número era de 6,16%.

O cenário de plantio avançado, porém, tem duas realidades distintas. Enquanto alguns agricultores já se aproximam da reta final do plantio, outros aguardam com preocupação a entrega dos fertilizantes e temem os impactos que a demora para o início do cultivo pode provocar no desempenho das lavouras.

É o caso do João Paulo Kovahulk, que ainda aguarda as chuvas para dar início ao plantio da área de 1.600 hectares em Canarana (MT). Nesta safra, o agricultor aumentou o investimento em adubação na expectativa de colher 4 sacas a mais por hectare. Mas a morosidade na entrega dos fertilizantes ameaça seus planos do produtor.

“O que eu tenho na fazenda dá para eu plantar de três a quatro dias. A gente está bem preocupado com essa situação, sem saber o que fazer, se a gente vai plantar sem adubo, se a gente vai esperar esse adubo chegar porque está muito atrasado e se ele vai chegar ainda, porque sabemos que o custo de produção hoje é alto e nós dependemos desse adubo para plantar e ter uma boa produtividade”, relata.

Leia Também:  Acidente fatal na MT 240 na curva do Lajeado; motorista morre preso nas ferragens

Safra de soja animadora

O início da safra 2021/22 de soja tem sido animador na fazenda Santa Ernestina, em Sorriso (MT), bem diferente do que aconteceu na última temporada, quando a demora da chegada da chuva comprometeu o início do plantio da lavoura de soja. Desta vez, a água caiu na hora esperada e permitiu que as máquinas fossem para o campo no momento certo. “A umidade do solo estava boa e conseguimos começar a plantar no dia 24 de setembro. No ano passado, só começamos a plantar no dia 18 de outubro”, comenta o agricultor Cleiton Tessaro. Com condições favoráveis, a semeadura deslanchou: 80% dos 2.200 hectares já foram cultivados.

Na Fazenda Santa Cecília, em Nova Mutum (MT), os trabalhos também estão adiantados. “Já plantamos 40% dos 1.800 hectares de soja previstos para esta safra”, conta o agricultor Clairton Pavlack que, na última safra, só ‘ligou’ as plantadeiras depois do dia 14 de outubro.

Olho no Araguaia – Por Canal Rural com Agências Safras.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA