ÁGUA BOA

Agronegócio

CNA debate desafios da competitividade do agro brasileiro no exterior

Publicado em

Agronegócio


Brasília (30/06/2021) A diretora de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Lígia Dutra, participou da segunda edição do “World Agritech South America Summit 2021”, promovido pela Rethink Events, nos dias 29 e 30 de junho.

O evento online, que reuniu diversos líderes globais do agronegócio, teve como tema principal a “catalisação da sustentabilidade financeira e ambiental em toda a cadeia de valor agroalimentar”.

Lígia Dutra foi uma das facilitadoras da mesa redonda “Impulsionando a competitividade global para a produção brasileira”, realizada na quarta (30). Segundo ela, o grupo discutiu os desafios do acordo comercial entre o Mercosul e a União  Europeia e a demora no andamento das negociações.

Outro assunto debatido foram os novos padrões para a produção de alimentos, que estão surgindo com as políticas europeias e como podem impactar na redução da oferta de alimentos no mundo.

De acordo com a diretora de Relações Internacionais da CNA, o papel do Brasil em estabelecer parâmetros de produção usando modelos de sustentabilidade e o aumento da demanda por investimentos estrangeiros em novos setores exportadores, como a fruticultura, também foram temas discutidos na mesa redonda.

Leia Também:  Vazio sanitário começa nesta terça-feira (15) em Mato Grosso

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Comunidade amplia conhecimentos sobre avicultura após série de treinamentos

Publicados

em


Pequenos criadores de 11 aldeias indígenas de Campo Novo do Parecis aprenderam a preparar rações para aves com os alimentos produzidos na própria comunidade. O curso faz parte de uma série de treinamentos pela parceria entre Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) e Sindicato Rural.

Eles aprenderam misturas com milho, mandioca e farelo de soja. Segundo a instrutora credenciada junto ao Senar-MT, Anna Luz, o conhecimento auxiliará na redução de custos já que os criadores poderão utilizar os alimentos que já produzem. “Foram ensinadas alternativas de alimentação com o que era acessível para eles, adequando a prática à realidade”, afirma.

Ainda de acordo com a instrutora, um dos pontos mais importantes do curso é sobre o uso adequado de ração para cada fase do animal. “Para ter mais lucratividade é necessária que a ração esteja de acordo com a fase de criação. Às vezes, por falta deste conhecimento, os criadores têm mais gastos”.

Moradora da Aldeia Wazare, Valdirene Szakenaezokero, já trabalhava com criação de aves e aprendeu muito com o treinamento. “Me ajudou como criar os animais desde os pintainhos até o abate. Aprendemos a produzir alimento com o que já temos e foi muito interessante”, destaca.

Leia Também:  MANDIOCA/CEPEA: Clima favorece retomada da colheita; preço recua

Mobilizadora do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Lussandra Lapinsk, afirma que este já é o terceiro treinamento direcionado à comunidade indígena do município e em parceria com a Cooperativa Agropecuária do Povo Indígena Haliti Paresi (Coopiparesi). “Estamos realizando diversas capacitações e tenho mais uma para encerrar ainda este mês”.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA