ÁGUA BOA

Agronegócio

Com doação de 16 mil cestas básicas, “Agro Fraterno” vai distribuir 240 toneladas de alimentos em Mato Grosso do Sul

Publicado em

Agronegócio


Uma das maiores correntes de solidariedade do setor agropecuário no Brasil, o movimento Agro Fraterno foi lançado em Mato Grosso do Sul, na manhã deste sábado, na sede da Famasul, em Campo Grande. A iniciativa vai distribuir 16 mil cestas básicas, totalizando 240 toneladas de alimentos, às famílias mais atingidas pela pandemia nos 79 municípios do estado.

O Agro Fraterno é uma iniciativa da CNA/Senar, OCB e entidades ligadas ao Instituto Pensar Agropecuária (IPA) que, com o incentivo da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, tem o objetivo de auxiliar as famílias mais atingidas pela pandemia da Covid-19 em todo o país.

“O movimento Agro Fraterno demostra o importante papel da agropecuária também com a responsabilidade social. Além de produzir alimentos com qualidade e segurança, produtores rurais e as entidades ligadas ao setor têm esse propósito de fazer o bem, e estender a mão a milhares de famílias que ainda sentem os efeitos da pandemia”, destacou o presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni.

 “Campo Grande agradece a iniciativa, todos os representantes aplaudem a ação, o carinho da Famasul junto a ministra e de todas as instituições envolvidas pela nossa cidade e tantas outras”, disse o prefeito.

Leia Também:  AÇÚCAR/CEPEA: Indicador oscila, mas patamar segue elevado

“As instituições estão muito próximas de todos para que a gente veja a evolução da agropecuária que na última instância significa tudo isso que está acontecendo hoje. Este gesto é muito importante para o atual momento de retomada econômica”, reforçou o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel.

“A pandemia trouxe desafios para o mundo inteiro. Muitas pessoas em situação de vulnerabilidade precisando de alimento, e o agro não parou, por isso compartilhamos os resultados alcançados por meio da solidariedade nesta ação”, afirmou Tereza Cristina.

Em Mato Grosso do Sul, das 16 mil cestas básicas a serem distribuídas, 7,9 mil unidades foram doadas pelo Sistema Famasul/Senar MS e 8,1 pelas demais instituições ligadas ao agro.

“Iremos distribuir alimentos para todos os 79 municípios sul-mato-grossenses. Para essa distribuição, contaremos com o apoio fundamental dos nossos sindicatos rurais”, destacou Bertoni.

Participaram do evento o diretor Sadi DePauli, representando o presidente da OCB/MS, Celso Regis; o superintendente da SFA/MS, Celso Martins; o secretário da Semagro, Jaime Verruck; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan, além dos representantes de sindicatos rurais do estado que acompanharam o evento presencial e virtualmente.

Leia Também:  SOJA/CEPEA: Procura firme impulsiona prêmios do grão e do farelo; semeadura começa no BR

Agro solidário – O Agro Fraterno no Brasil teve início no mês de junho de 2021. O movimento conta com participação voluntária de produtores, empresas e entidades ligadas ao setor.

As doações são livres e podem ser feitas com cestas de alimentos, com recursos ou com alimentos, de acordo com opção dos doadores. É necessário realizar o cadastro do doador ou do beneficiário no site: agrofraterno.com.br.

A transmissão na íntegra em https://bit.ly/3jK2Kl7

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Gaúcha do Norte prevê início do plantio da safra 21/22 para os próximos dias

Publicados

em

As primeiras precipitações de chuva dos últimos dias têm animado os produtores rurais de Gaúcha do Norte, no interior de Mato Grosso. Quem ainda não finalizou o preparo do solo para receber a semente da soja, segue com os trabalhos acirrados para conseguir aproveitar ao máximo a janela da cultura.

“As chuvas ainda são manchadas e em pouca quantidade, mas se as previsões de chuva se confirmarem, o plantio já deve iniciar no começo do mês de outubro. Mas, também tem produtor comentando que se na propriedade chover acima de 70mm ainda em setembro deve iniciar o plantio” comentou o presidente do Sindicato Rural de Gaúcha do Norte, Josinei Zemolin.

Nas propriedades Amanhecer II e São Jorge, já está tudo pronto para iniciar o plantio nos próximos dias. “Estamos esperançosos em abrir o plantio em setembro novamente, com chuvas de 20 mm vamos dar início no plantio em Gaúcha do Norte. Tivemos chuva de 10 mm na Fazenda Amanhecer II e 50 mm na Fazenda São Jorge”, disse o proprietário João Paulo Calgaro.

Leia Também:  Exportações do agro somam US$ 10,9 bilhões em agosto

No último final de semana, o produtor realizou um teste para o plantio na propriedade, mas não se confirmou devido a alta temperatura no solo, com 45º, isso antes das 9 horas da manhã.

Início do plantio da safra de soja 2021 22 em Gaúcha do Norte; Crédito – Cely Trevisan.

A área total das duas propriedades destinada a cultura da soja deve crescer 14% em relação à safra anterior, chegando a 2.500 hectares. “A expectativa é boa para a próxima safra, só estamos com o pé atrás com os custos pra próxima safra a 22/23. Está tendo um aumento significativo, onde os fertilizantes como super simples saiu de US$ 280/320 a tonelada para US$ 720 a tonelada, o KCL (cloreto de potássio) também teve alta expressiva”, pontuou Calgaro.

Além de Gaúcha do Norte, a família possui propriedade em Campos de Júlio com uma área de 2.200 hectares destinadas para essa safra de soja e com 160 mm acumulados.

Olho no Araguaia –  Por Cely Trevisan para AGRNotícias.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA