ÁGUA BOA

Agronegócio

Curso de Inseminação Artificial para Bovinos é marcado por participação expressiva de mulheres

Publicado em

Agronegócio


O público feminino ganhou notoriedade no curso de Inseminação Artificial para Bovinos, realizado na fazenda Nelore Novo, no município de Abreulândia. A parceria entre o Sindicato Rural e o SENAR proporcionou um curso para 10 alunos, dos quais cinco eram mulheres. A surpresa dessa edição do curso confirma a tendência da participação feminina cada vez mais expressiva nas carreiras profissionais do agronegócio, em especial as que agregam tecnologia e inovação ao trabalho no campo.

Levantamento do Senar aponta que no Tocantins o público feminino vem crescendo e conquistando cada vez mais espaço no mundo do agro. Nos cursos promovidos pela entidade, a presença de mulheres era bastante reduzida e só crescia numericamente quando eram atividades ligadas ao cultivo de hortaliças, produção de doces e compotas e outras atividades do ramo alimentar. Já nos últimos anos, a situação mudou completamente. Em muito cursos do Senar, as mulheres são maioria e mesmo em capacitações ligadas a máquinas agrícolas, manejo de animais e outros campos onde predominava a presença masculina, o público feminino não fica atrás.

Liderança Feminina

No curso de inseminação artificial, a tendência se confirmou. As mulheres disputaram espaço com os homens nas lições teóricas e práticas. Os alunos e alunas do curso puderam vivenciar e praticar o trato e o manejo do animal a ser inseminado. Segundo a estudante de Zooctenia, Helen Gabriella Alves, de 24 anos, a técnica foi sendo aprimorada com as atividades do curso. “Sou apaixonada pelo mundo do agronegócio e esse curso só veio somar ainda mais na minha carreira profissional. São ensinamentos que vão fazer toda diferença no meu futuro. Agradeço essa grande oportunidade que o SENAR proporcionou”, comentou.

Leia Também:  PIB-Agro/CEPEA: Impulsionado por ramo agrícola, PIB agro cresce 5,35% no 1º trimestre

Nos dias de treinamento, os alunos estudaram o histórico da inseminação no mundo e no Brasil, depois tiveram noções do aparelho reprodutivo dos bovinos e aprenderam técnicas que ajudam na identificação das vacas que estão no cio. Os participantes também tiveram aulas sobre a sanidade e a genética animal. A inseminação artificial tem se tornado cada vez mais comum nas propriedades rurais do Tocantins, garantindo um melhoramento genético do rebanho e isso segundo o instrutor Valcir José Bortoluzzi, é fruto do trabalho do profissional que faz inseminação artificial, e que é bastante requisitado no mercado.

O instrutor do Senar explicou ainda que para realizar um bom trabalho, os profissionais precisam ter conhecimentos gerais sobre o tema, mas também precisam estar atentos a questões como a montagem do equipamento de inseminação, o manejo do botijão e a pipeta e a temperatura do sêmen. “O conhecimento técnico, quando bem aplicado na prática, é a chave do sucesso profissional em todos os setores. O nosso principal objetivo é capacitar cada vez mais nossos alunos”, explicou Bortoluzzi, instrutor do SENAR.

Leia Também:  Boi gordo vai a R$ 310 e milho e soja batem recorde; veja notícias desta quarta

Segundo o instrutor o aprendizado é importante para a construção de um futuro de sucesso, e os participantes que conhecem o trabalho do SENAR, tendem a querer realizar outros cursos e conhecer novos títulos.
Os conhecimentos aqui adquiridos serão muito utilizados na vida dos participantes, essa turma, por exemplo, teve como diferencial a participação expressiva das alunas que fizeram bonito durante todos os dias de curso e mostraram que a mulher chega onde ela quiser”, finalizou.
 

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Publicados

em


Sustentabilidade

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Localizadas em propriedades rurais as fontes estão 97% preservadas

12/06/2021

Levantamento realizado pelo projeto Guardião das Águas, de iniciativa da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), identificou que produtores rurais de Primavera do Leste, região Sudeste do Estado preservam 97% das nascentes. O estudo apontou que, das 259 fontes encontradas em áreas agricultáveis, 250 estão em ótimo estado de conservação. O município possui 194.329 mil hectares de plantio de milho e 285.507 mil ha de cultivo de soja.

O estudo aponta também, que produtores rurais de Paranatinga, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Rondonópolis, Cuiabá e Itiquira também preservam o patrimônio natural. Nesses municípios os resultados mostram um percentual de conservação das fontes entre 95 e 99%. O Guardião das Águas é desenvolvido há três anos e já mapeou 63.859 nascentes em 34 municípios do Estado.

O mapeamento tem como objetivo avaliar e diagnosticar as nascentes dos municípios produtores de soja e milho, de acordo com o grau de conservação, além de apoiar a regularização ambiental e fomentar estratégias internacionais.

Leia Também:  TOMATE/CEPEA: Colheita se intensifica, e preços caem com força no atacado

Gerente de Sustentabilidade e responsável pelo projeto, Marlene Lima, explica que “o Guardião das Águas é uma ação contínua que serve para instruir o produtor associado sobre os trabalhos de restauro florestal que precisam ser realizados nas fazendas”.

Em Primavera do Leste, na fazenda do produtor rural Rafael Zanin, as nascentes estão intactas. “Nossa área é de cerca de 5 mil hectares, aqui cultivamos soja, milho e pecuária. Fazemos aceiro, áreas de dreno, não derrubamos árvores, nem o gado bebe água das nascentes, pois temos poço artesiano e local apropriado para eles. Separamos o lixo e reciclamos, tudo com muita responsabilidade, já que em nossa propriedade temos três dos principais biomas: Amazônia, Cerrado e Pantanal”.

Morador de Paranatinga há uma década, o produtor rural Abel Dognani, se orgulha ao falar do município e suas potencialidades. A fazenda de 2.500 hectares possui diversas nascentes preservadas, bem como reserva legal intacta. “Plantamos soja e milho, mas temos a consciência da preservação do meio ambiente. Reflorestamos cerca de 20 a 30 metros em torno das nascentes e com isso os açudes (represas de água) estão cheios, o que atende toda a demanda da fazenda”, enfatizou Abel.

Leia Também:  Sistema FAEC/SENAR e BNB discutem termo de parceria para ampliar ações voltadas para o Agronegócio cearense

O projeto Guardião das Águas tem responsabilidade com o meio ambiente.“A sustentabilidade no agronegócio envolve práticas ambientais nas atividades agrícolas, bem como adoção de novas tecnologias e aplicação de métodos sustentáveis na rotina do campo. Prova disso é a preservação das nascentes em propriedades rurais, em média 95% delas em ótimo estado de conservação”, declarou presidente da Aprosoja, Fernando Cadore.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA