ÁGUA BOA

Agronegócio

Curso novo do SENAR MINAS ensina a lidar com animais venenosos e peçonhentos

Publicado em

Agronegócio


Deparar-se com cobras, escorpiões, lacraias ou aranhas é um fato comum para quem vive ou trabalha no campo. No entanto, lidar com esses animais exige conhecimento e técnica. Por isso, o Sistema FAEMG/SENAR/INAES está promovendo, nesta semana, um curso piloto de Segurança no Trabalho – Animais Peçonhentos e Venenosos, em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Ituiutaba. Vinte e nove participantes integram as turmas, oferecidas presencialmente e na modalidade de Aulas Virtuais ao Vivo (AVV).

Curso novo do SENAR MINAS ensina a lidar com animais venenosos e peçonhentos

A relação do homem com o animal é o primeiro aspecto abordado no treinamento. “Começamos com a questão do medo e da fobia. Muitas vezes, esse pavor leva a pessoa a matar. A intenção é que ele conheça a biologia do animal e compreenda as suas características”, explicou o instrutor Marco Túlio de Freitas.

Os participantes também recebem orientações sobre medidas preventivas e de segurança e aprendem sobre estratégias de defesa do animal e práticas de contenção. Nas aulas presenciais, os alunos constroem o seu próprio instrumento de captura (gancho)  e, com cobras de borracha, simulam, na prática, as técnicas para conter o animal e o colocar na caixa. 

Leia Também:  Sindicato Rural de Toledo investe em transparência na gestão

Também são repassadas aos alunos informações sobre os locais mais comuns onde pode ser encontrado cada tipo de animal e instruções sobre as providências em caso de acidentes. “Por uma questão cultural, muitos têm o hábito de tomar medidas que não são adequadas. Percebemos que esse público, realmente, necessita de conhecimento para lidar com os animais peçonhentos e venenosos”, afirmou o instrutor.

Curso novo do SENAR MINAS ensina a lidar com animais venenosos e peçonhentos

Aprovação

“O instrutor é muito dinâmico e aprendemos com facilidade. O melhor foi a parte prática para saber manusear o gancho de forma correta.” – Giulia Cristine Menezes, aluna da turma presencial

“É o segundo curso que faço pelo SENAR e está sendo muito esclarecedor. O tema é fantástico para quem mora na zona rural. É uma oportunidade para aprender a cuidar da natureza, a se preservar e a ajudar alguém que esteja precisando.” – Marcelo Gouveia Guimarães, aluno da turma na modalidade AVV

Curso novo do SENAR MINAS ensina a lidar com animais venenosos e peçonhentos

“Os participantes aprendem, principalmente, que o simples fato de matar um animal desse contribui para o desequilíbrio de todo o ecossistema.” – Marina da Silva Pereira e Iris Aparecida Borges Nunes Miranda, mobilizadoras do Sindicato dos Produtores Rurais de Ituiutaba

“Mais uma vez, o Sistema FAEMG/SENAR/INAES inova com um tema que é de grande relevância para o homem do campo. Esse conhecimento vai proporcionar mais tranquilidade para quem lida no dia a dia com esses animais. A oferta do treinamento também na modalidade AVV amplia a oportunidade de participação.” – Caio Oliveira, gerente regional do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Uberaba

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Publicados

em


Sustentabilidade

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Localizadas em propriedades rurais as fontes estão 97% preservadas

12/06/2021

Levantamento realizado pelo projeto Guardião das Águas, de iniciativa da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), identificou que produtores rurais de Primavera do Leste, região Sudeste do Estado preservam 97% das nascentes. O estudo apontou que, das 259 fontes encontradas em áreas agricultáveis, 250 estão em ótimo estado de conservação. O município possui 194.329 mil hectares de plantio de milho e 285.507 mil ha de cultivo de soja.

O estudo aponta também, que produtores rurais de Paranatinga, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Rondonópolis, Cuiabá e Itiquira também preservam o patrimônio natural. Nesses municípios os resultados mostram um percentual de conservação das fontes entre 95 e 99%. O Guardião das Águas é desenvolvido há três anos e já mapeou 63.859 nascentes em 34 municípios do Estado.

O mapeamento tem como objetivo avaliar e diagnosticar as nascentes dos municípios produtores de soja e milho, de acordo com o grau de conservação, além de apoiar a regularização ambiental e fomentar estratégias internacionais.

Leia Também:  ATeG do Senar está em plena expansão em Mato Grosso e no Brasil

Gerente de Sustentabilidade e responsável pelo projeto, Marlene Lima, explica que “o Guardião das Águas é uma ação contínua que serve para instruir o produtor associado sobre os trabalhos de restauro florestal que precisam ser realizados nas fazendas”.

Em Primavera do Leste, na fazenda do produtor rural Rafael Zanin, as nascentes estão intactas. “Nossa área é de cerca de 5 mil hectares, aqui cultivamos soja, milho e pecuária. Fazemos aceiro, áreas de dreno, não derrubamos árvores, nem o gado bebe água das nascentes, pois temos poço artesiano e local apropriado para eles. Separamos o lixo e reciclamos, tudo com muita responsabilidade, já que em nossa propriedade temos três dos principais biomas: Amazônia, Cerrado e Pantanal”.

Morador de Paranatinga há uma década, o produtor rural Abel Dognani, se orgulha ao falar do município e suas potencialidades. A fazenda de 2.500 hectares possui diversas nascentes preservadas, bem como reserva legal intacta. “Plantamos soja e milho, mas temos a consciência da preservação do meio ambiente. Reflorestamos cerca de 20 a 30 metros em torno das nascentes e com isso os açudes (represas de água) estão cheios, o que atende toda a demanda da fazenda”, enfatizou Abel.

Leia Também:  SUÍNOS/CEPEA: Com baixa oferta de animais em peso de abate, preço do vivo sobe

O projeto Guardião das Águas tem responsabilidade com o meio ambiente.“A sustentabilidade no agronegócio envolve práticas ambientais nas atividades agrícolas, bem como adoção de novas tecnologias e aplicação de métodos sustentáveis na rotina do campo. Prova disso é a preservação das nascentes em propriedades rurais, em média 95% delas em ótimo estado de conservação”, declarou presidente da Aprosoja, Fernando Cadore.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA