ÁGUA BOA

Agronegócio

Mutirão Rural do Senar-MT volta a rodar e a primeira ação foi em Campo Novo do Parecis

Publicado em

Agronegócio


Respeitando todas as regras de combate e prevenção à covid-19, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) retomou as atividades do programa especial Mutirão Rural, nesta quinta-feira (09.09). O primeiro evento aconteceu na Aldeia Salto da Mulher, localizada a 150 quilômetros da cidade de Campo Novo do Parecis. Entre às 08h e 16h, mais de 350 pessoas foram atendidas.

Até o fim de 2021 serão 17 eventos. Além de Campo Novo do Parecis, nesta primeira etapa o Mutirão acontece também nos municípios de Sapezal, Brasnorte e Diamantino (Confira abaixo a programação completa). Em parceria com o Sindicato Rural dos municípios e diversos outros parceiros, o Mutirão Rural leva cerca de 30 serviços às comunidades rurais.

Neste ano tiveram várias mudanças na estrutura. Para evitar aglomerações, a equipe do Mutirão foi ampliada e haverá pelo menos três pessoas trabalhando na triagem para evitar filas. Além disso, as pessoas que serão atendidas deverão usar máscaras. Caso não tenham, a organização do Mutirão fornecerá.  

O superintendente da instituição, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, conhecido como Chico da Pauliceia, destacou a importância da retomada. “Depois de quase um ano e meio suspenso em função da pandemia, realizamos o primeiro evento do Mutirão Rural. Neste ano a instituição leva uma unidade móvel de saúde, com atendimento odontológico e oftalmológico”.

Leia Também:  Ex-aluno do JAA assume secretaria de Agricultura no Noroeste do PR

Haverá um optometrista e um oftalmologista e as pessoas que precisarem poderão escolher os óculos durante o evento. “Assim que ficar pronto mandamos para o Sindicato Rural de cada município para que seja entregue ao produtor”, acrescenta o coordenador técnico, Gustavo Mocci.

Na lista de serviços está exames rápidos de glicemia, colesterol e trigliceris, consultórios médico e odontológico e ainda atividades lúdicas para as crianças. Corte de cabelos, jogos educativos, declaração de hipossuficiência para gratuidade da 2ª via de documentos e até orientação jurídica. Outros serviços como a emissão de declaração de atividade rural, orientações e encaminhamentos ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) também são oferecidos no Mutirão Rural.

Mocci explica ainda que “os serviços podem variar de acordo com o município em função das parcerias. Além dos parceiros estaduais, temos também as prefeituras e várias outras instituições”.

 É IMPORTANTE RESSALTAR QUE ESTA PROGRAMAÇÃO ESTÁ SUJEITA À ALTERAÇÕES.

Setembro  

Sábado (11) – Sapezal – Centro de Treinamento do Ima

Terça–feira (14) – Diamantino – Distrito Deciolândia

Leia Também:  ARROZ/CEPEA: Indicador opera perto da estabilidade

Quinta-feira (16) – Brasnorte – Água da Prata

Quarta-feira (22) – Nova Bandeirantes – Comunidade Paraiso do Norte

Sexta-feira (24) – Apiacás – Comunidade Colina Azul

Segunda-feira (27) – Paranaíta – Sombra da Manhã

Quarta-feira (29) – Nova Canaã do Norte – Distrito Ouro Branco

Outubro

Sexta-feira (01) – Colíder – Comunidade São Mateus

Segunda-feira (04) – Matupá – Comunidade Santo Antônio linha 3 (Assentamento São José União)

Quarta-feira (06) – Terra Nova do Norte – 6º Agrovila

Segunda-feira (18) – São Felix do Araguaia – Pontinópolis

Quarta-feira (20) – Porto Alegre do Norte – Primavera do Fontoura

Sexta-feira (22) – Vila Rica – Comunidade Ipê

Domingo (24) – Santa Cruz do Xingu –  P.A Santa Clara

Terça-feira (26) – São José do Xingu – Fontoura

Quinta-feira (28) – Confresa – Lumiar

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Em reunião do PNEFA, Bloco IV decide descontinuar a vacina a partir de 2023

Publicados

em


Em uma decisão unânime, o bloco IV, composto por 10 estados e o Distrito Federal (BA, SE, RJ, SP, MG, GO, MT, TO, MS, ES e DF), optou por imunizar seus rebanhos contra a Febre Aftosa até 31 dezembro de 2022. A postura de seguir conjuntamente e adotar a descontinuidade da vacina a partir de 2023 foi anunciada na manhã desta quarta-feira (22), durante reunião virtual da Comissão de Coordenadores dos Grupos Estaduais (CCGE), conduzida pelo presidente do bloco, Humberto Miranda, que também preside o Sistema Faeb/Senar. A decisão conjunta será encaminhada para apreciação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e, se aprovada, será estabelecida em todos os estados que integram essa divisa sanitária.

Este foi o quarto encontro do grupo, presidido por Humberto, para debater o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), promovido pelo Mapa e que reúne instituições públicas e privadas ligadas ao setor agropecuário. Os estados que compõem esse bloco já são considerados zona livre de febre aftosa com vacinação e agora pleiteiam o status de zona livre sem o uso do imunizante. Para tanto, eles precisam cumprir rigorosos critérios técnicos e sanitários estabelecidos pelo Mapa.

No encontro, cada estado apresentou os resultados alcançados. A Bahia já executou, dentro do prazo, 84,09% das ações previstas para o período de 2017 a 2026, mas segue na busca de soluções para os gargalos.

Leia Também:  MANDIOCA/CEPEA: Preço médio da raiz sobe pela 11ª semana consecutiva

“Chegamos ao consenso de que seria mais fácil enfrentar as dificuldades se administrarmos conjuntamente do que se adotarmos medidas individuais e isoladas. Por isso, seguiremos em bloco, com aplicação da última vacina em novembro de 2022, para iniciarmos 2023 com um plano sanitário seguro, o que passa pela união de educação sanitária e comunicação; pelo controle de trânsito de animais; reforço nas barreiras sanitárias; e investimento em recursos humanos, com a formação de um corpo técnico qualificado para atuar na fiscalização. Só assim a vacina será extinguida, proporcionando segurança aos pecuaristas e a toda população, de forma a desonerar os custos do criador e do consumidor”, avaliou Miranda, certo de que precisa avançar no Plano de Trabalho.

Além de compartilhar experiências e resultados, a reunião também serviu para discutir o planejamento das próximas iniciativas do Bloco IV, que contabiliza mais 130 milhões de cabeça de gado, detendo mais de 60% do rebanho brasileiro de bovinos e bubalinos. Entre as ações previstas estão a mobilização e o envolvimento dos setores produtivos, através da realização de Fóruns Estaduais; o fortalecimento dos Serviços Veterinários Oficiais – SVO; a sustentação financeira, por meio do fortalecimento dos fundos; uniformidade dos cadastros de propriedades rurais e a geolocalização das propriedades.

Leia Também:  CNA propõe suplementação de recursos do orçamento para o seguro rural

O Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa tem como objetivo principal criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e gerando o máximo de benefícios às entidades envolvidas e à sociedade brasileira.

Participaram da reunião, Humberto Miranda, Carminha Missio, Carlos Rio, Oziel Oliveira e José Neder, representando a Bahia; pelo Distrito Federal estavam Marcelo Ricardo de Toledo e Vinícius Eustáquio; a estadual do Espírito Santo foi representada por Raoni Cipriano e Neuzedino Assis; Uraci Bernardes e Antônio do Amaral, representaram o Goiás; Guilherme Costa e Altino Neto, Minas Gerias; pelo Mato Grosso do Sul estavam Rogério Beretta e Marcelo Bertoni, da Famasul. Já o Mato Grosso foi representado por Renam Tomazelli e Antônio Carlos Carvalho, da Famato. Liliani Vidal e Maurício César participaram pelo Rio de Janeiro; Maria Aparecida e Ivan Sobral, da Faese, por Sergipe. O estado de São Paulo estava presente, representados por Érika Ramos, Wander Luís e Thiago Rocha, da Faesp; e o Tocantins por Márcio Rezende. Representando o Mapa estavam Diego Viali, Ana Carolina Botelho e Alba Said. A reunião contou também com participantes convidados pelas EGEs.

Fonte: Sistema Faeb/Senar

    Fonte: CNA Brasil

    COMENTE ABAIXO:
    Continue lendo

    AGUA BOA

    VALE DO ARAGUAIA

    MATO GROSSO

    POLICIAL

    MAIS LIDAS DA SEMANA