ÁGUA BOA

Agronegócio

Sindicato Rural e Senar-MT ofertam treinamentos a acolhidos de casa de recuperação

Publicado em

Agronegócio


Por meio da parceria entre Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), cerca de 20 acolhidos da Associação Terapêutica Portal da Sobriedade estão participando de cursos de capacitação. Em 2021, já foram realizados treinamentos de Olericultura Básica e Suinocultura.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde, Antônio Fraga Lira, essa foi uma iniciativa da diretoria da instituição e vem trazendo bons frutos para o município. “Estamos todos muito felizes em poder dar essa ajuda para pessoas da cidade e do meio rural que passam por essa situação”, afirma.

A proposta é ofertar um curso por mês, mas devido ao avanço de casos do novo coronavírus, as aulas estão suspensas na unidade que abriga, atualmente, 20 dependentes químicos, homens entre 18 e 65 anos. Segundo Nataniel Krauspenhar, um dos responsáveis pela casa, o objetivo é fornecer conhecimento aos acolhidos enquanto se recuperam.

“Os cursos auxiliam os acolhidos no sentido de devolver a dignidade e a capacidade de ser reinserido no ambiente de trabalho posteriormente, com foco no desenvolvimento do ser humano”, afirma.

Leia Também:  CNA debate autocontrole e padrões de classificação no setor de hortaliças

Até o momento, mais de 1300 pessoas já foram ajudadas pela instituição. A previsão é acolher pelo menos 80 pessoas neste ano de 2021. “E oferecer além do tratamento para dependência, formação profissional e pessoal para todos”.

Casa Terapêutica Monte Sião – No mês de maio, o Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde e Senar-MT ministraram treinamento de jardinagem a atendidos da Casa Terapêutica Monte Sião. O objetivo também foi fornecer conhecimento para os participantes serem capacitados ao mercado de trabalho. O curso foi realizado em parceria com a Prefeitura Municipal.

Medidas de prevenção – Atendendo aos decretos municipais e estaduais relacionados à pandemia de Covid-19, a parceria vem atendendo todos os protocolos. “Os cursos têm trazido um ambiente muito favorável para a comunidade e para os acolhidos que podem ter uma formação junto ao tratamento”, afirmou o coordenador.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Publicados

em


Sustentabilidade

Primavera do Leste tem nascentes em ótimo estado de conservação

Localizadas em propriedades rurais as fontes estão 97% preservadas

12/06/2021

Levantamento realizado pelo projeto Guardião das Águas, de iniciativa da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), identificou que produtores rurais de Primavera do Leste, região Sudeste do Estado preservam 97% das nascentes. O estudo apontou que, das 259 fontes encontradas em áreas agricultáveis, 250 estão em ótimo estado de conservação. O município possui 194.329 mil hectares de plantio de milho e 285.507 mil ha de cultivo de soja.

O estudo aponta também, que produtores rurais de Paranatinga, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Rondonópolis, Cuiabá e Itiquira também preservam o patrimônio natural. Nesses municípios os resultados mostram um percentual de conservação das fontes entre 95 e 99%. O Guardião das Águas é desenvolvido há três anos e já mapeou 63.859 nascentes em 34 municípios do Estado.

O mapeamento tem como objetivo avaliar e diagnosticar as nascentes dos municípios produtores de soja e milho, de acordo com o grau de conservação, além de apoiar a regularização ambiental e fomentar estratégias internacionais.

Leia Também:  Produtos com Selo Nacional da Agricultura Familiar passam de 700 para 7 mil em um ano

Gerente de Sustentabilidade e responsável pelo projeto, Marlene Lima, explica que “o Guardião das Águas é uma ação contínua que serve para instruir o produtor associado sobre os trabalhos de restauro florestal que precisam ser realizados nas fazendas”.

Em Primavera do Leste, na fazenda do produtor rural Rafael Zanin, as nascentes estão intactas. “Nossa área é de cerca de 5 mil hectares, aqui cultivamos soja, milho e pecuária. Fazemos aceiro, áreas de dreno, não derrubamos árvores, nem o gado bebe água das nascentes, pois temos poço artesiano e local apropriado para eles. Separamos o lixo e reciclamos, tudo com muita responsabilidade, já que em nossa propriedade temos três dos principais biomas: Amazônia, Cerrado e Pantanal”.

Morador de Paranatinga há uma década, o produtor rural Abel Dognani, se orgulha ao falar do município e suas potencialidades. A fazenda de 2.500 hectares possui diversas nascentes preservadas, bem como reserva legal intacta. “Plantamos soja e milho, mas temos a consciência da preservação do meio ambiente. Reflorestamos cerca de 20 a 30 metros em torno das nascentes e com isso os açudes (represas de água) estão cheios, o que atende toda a demanda da fazenda”, enfatizou Abel.

Leia Também:  Família de produtores que pensava em vender sítio retoma ânimo com as transformações do Senar/MS

O projeto Guardião das Águas tem responsabilidade com o meio ambiente.“A sustentabilidade no agronegócio envolve práticas ambientais nas atividades agrícolas, bem como adoção de novas tecnologias e aplicação de métodos sustentáveis na rotina do campo. Prova disso é a preservação das nascentes em propriedades rurais, em média 95% delas em ótimo estado de conservação”, declarou presidente da Aprosoja, Fernando Cadore.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA