ÁGUA BOA

Agronegócio

Telemedicina para produtores assistidos pelo AgroNordeste em MG já está funcionando

Publicado em

Agronegócio


Produtores atendidos pelo Programa Especial AgroNordeste acabam de ganhar um apoio nos cuidados com a saúde com o serviço de telemedicina, que começa a ser ofertado ainda este mês. A iniciativa é do SENAR Central e será desenvolvida em Minas Gerais pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES. Os cadastros começaram em 20 de julho e já tem produtores agendando suas primeiras consultas – e gostando da ideia.

Telemedicina para produtores assistidos pelo AgroNordeste em MG já está funcionando - SENAR MINAS
Reunião apresentou a iniciativa a gerentes e supervisores do programa

“O SENAR Central entendeu que essa é uma boa oportunidade para levar atendimento médico de qualidade para locais mais remotos, onde a pessoa tem mais dificuldade de acesso a médicos e enfermeiros. A iniciativa vai suprir uma demanda importante que pode ser coberta por essa modalidade de atendimento”, comenta o gerente de Assistência Técnica e Gerencial Bruno Rocha de Melo. O projeto conta com o apoio da Gerência de Formação Profissional e Promoção Social. Para a gerente Liziana Rodrigues, o empenho de todos será muito importante “pois é mais uma iniciativa que vem para ajudar nossos produtores rurais”.

O analista técnico Rafael Garcia, coordenador do AgroNordeste em Minas, tem expectativa do serviço ser muito utilizado. Ele explica que o serviço será prestado via atendimento por um telefone 0800, pelo aplicativo da empresa responsável ou por videochamada do WhatsApp, 24 horas por dia, sete dias por semana. “O atendimento será gratuito, para o produtor ou produtora e até mais quatro familiares que ele cadastrar. Nesse primeiro momento, estão disponíveis clínicos gerais e médicos da família”, informa. Hoje, o AgroNordeste atende 1.710 propriedades.

Leia Também:  ALGODÃO/CEPEA: Indicador volta a reagir neste começo de julho
Telemedicina para produtores assistidos pelo AgroNordeste em MG já está funcionando - SENAR MINAS
Geraldo Malveira, pecuarista de Japonvar, foi um dos primeiros a agendar uma consulta dentro da novidade com o auxílio da técnica Maria Cecília Magalhães

Rede de apoio

Os técnicos de campo do programa serão fundamentais para levar as informações da novidade aos produtores, bem como dar apoio no cadastro do produtor e sua família e em questões técnicas. Os Sindicatos de Produtores Rurais e Secretarias de Saúde municipais também serão aliados importantes para que o produtor tenha suporte durante todos os passos do processo – desde a realização da consulta até outros atendimentos que possam ser necessários.

“Talvez essa seja uma ferramenta que nenhum produtor imaginasse estar usando, mas muitos receberam, durante a pandemia, visitas virtuais dos técnicos de campo – ou seja, essa é mais uma visita virtual, só que de um médico. A consulta será um primeiro contato que tem limitações, mas já facilita para o produtor não precisar ir para a cidade só para isso”, avalia Rafael.

O projeto está sendo oferecido de forma piloto a assistidos pelo AgroNordeste tendo em vista os desafios das regiões nas quais o programa é realizado. Havendo aderência, há a possibilidade de ele ser ampliado para mais produtores atendidos pela assistência técnica e gerencial.

Leia Também:  OVOS/CEPEA: Poder de compra do avicultor cresce, mas ainda é menor que em 2020
Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Campo Futuro levanta custos de produção em nove estados

Publicados

em


Brasília (30/07/2021) – O Projeto Campo Futuro levantou nesta semana os custos de produção de aquicultura (piscicultura), cana-de-açúcar, grãos (soja, milho e feijão), pecuária de leite e pecuária de corte.

Os encontros ocorreram de forma virtual como medida de segurança para atender os protocolos sanitários com o objetivo de evitar o contágio do coronavírus.

Os painéis de grãos ocorreram em Cristalina (GO), Dourados (MS) e Naviraí (MS). Em Morro Agudo (SP), Campo Florido (MG), João Pessoa (PB) e Recife (PE), ocorreram os levantamentos de cana-de-açúcar.

Houve, ainda, um painel de pecuária de leite, em Marmeleiro (PR), um de pecuária de corte, em Santa Maria (RS) e um de piscicultura, em Cuiabá (MT).

Os levantamentos foram feitos pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), Centro de Inteligência de Mercados da Universidade Federal de Lavras (CIM/UFLA), Labor Rural (Universidade Federal de Viçosa – UFV) e Pecege (Esalq/USP).

A iniciativa analisa as informações obtidas a partir da realidade produtiva apresentada pelos produtores. Participam dos encontros virtuais (medida de segurança para evitar o contágio do coronavírus) representantes das federações estaduais de agricultura e pecuária, sindicatos rurais dos municípios e produtores rurais. Os dados obtidos são preliminares.

Leia Também:  Milho se aproxima de novo recorde nominal; veja notícias desta quarta

Assessoria de Comunicação CNA
Foto: Wenderson Araujo
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA