ÁGUA BOA

Economia

Bitcoin tem forte queda e chega a R$ 151 mil, zerando todos os ganhos anuais

Publicado em

Economia


source
Bitcoin tem forte queda e chega a US$ 29 mil, quase zerando todos os seus ganhos anuais
Fernanda Capelli

Bitcoin tem forte queda e chega a US$ 29 mil, quase zerando todos os seus ganhos anuais

Nesta terça-feira (20), os investidores do Bitcoin viram a criptomoeda chegar a uma queda de 5,60% . O principal ativo digital do mercado alcançou US$ 29 mil , seu menor valor em quatro semanas.

Com esse preço, o criptoativo quase zerou seus ganhos anuais. Isso porque, no 1° dia de 2021, estava cotado em US$ 29.087,07, o que significa que o Bitcoin avança apenas 1% ao ano. Além disso, outras criptomoedas tiveram quedas consideráveis, como o Ethereum e Dogecoin, que caíram em 7%.

Você viu?

Um dos motivos da queda foi o avanço da variante Delta do coronavírus (Covid-19). Por isso, investidores de todo o mundo se preocupam com a nova cepa da doença, assim como o que ela significa para o próximo estágio da pandemia.

Leia Também:  MP que prevê facilidade no funcionamento de empresas será votado nesta terça

Leia a matéria completa no site do 1Bilhão.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni defende contratação em prefeitura sem CLT

Publicados

em


source
Onyx Lorenzoni assumiu como novo ministro do Trabalho e Previdência
Agência Brasil

Onyx Lorenzoni assumiu como novo ministro do Trabalho e Previdência

O novo ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, pretende ampliar para o setor público, em especial para as prefeituras, a contratação de pessoas sem carteira assinada. O foco são os grupos entre 16 anos e 29 anos e acima de 50 anos.

Na prática, o projeto em estudo representa uma flexibilização sobre os novos regimes de trabalho já existentes, como temporário (por tempo determinado), intermitente (por hora de serviço), além da jornada parcial.

O ministro, que tomou posse de forma reservada em seu gabinete nesta terça-feira, pretende ampliar o chamado Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) para o setor público. A medida, até então desenhada para empresas privadas, consiste na concessão de uma bolsa em valor equivalente a meio salário mínimo (R$ 550), acompanhada de um curso de qualificação.

Parte do valor poderá ser pago, em ambos os casos, pelo governo.

O objetivo do governo é ampliar a contratação de pessoas sem vínculos empregatícios. A nova modalidade em estudo pelo novo ministro, contudo, vai além das mudanças trabalhistas que já ocorreram nos últimos anos por acabar com a exigência de que a remuneração seja baseada no salário mínimo, que equivale a R$ 5 por hora atualmente.

Leia Também:  MP que prevê facilidade no funcionamento de empresas será votado nesta terça

A jornada seria de meio expediente e o contrato, de no máximo 18 meses, segundo técnicos da pasta.

A ideia faz parte de um projeto inicial do ministro, quando ele ainda comandava o Ministério da Cidadania. Onyx defendia o alistamento civil voluntário, mas para isso é preciso alterar a Constituição, o que foi descartado pelo governo.

A expectativa é que as prefeituras possam aderir à nova modalidade, com contrapartida do governo federal para ajudar no pagamento da bolsa.

Você viu?

“A ideia é buscar um programa que seja bastante abrangente, tanto na área da empresa privada, quanto também no setor público para que a gente possa ao terminar o auxílio emergencial, ajudar milhões de famílias brasileiras que precisam de uma fonte de rendimento”, disse o ministro em entrevista à rádio Jovem Pan, nesta terça-feira.

Leia Também:  Guedes volta a defender flexibilização do Mercosul e critica 'economia fechada'

Onyx também destacou que pretende regulamentar o serviço prestado por aplicativos nas plataformas digitais. Afirmou que aguarda o resultado dos estudos pela equipe técnica até o fim desta semana.

“Queremos dar mais segurança para quem trabalha e estabelecer uma relação onde a busca da melhora da renda seja o caminho”, disse o ministro.

Ele criticou a lei trabalhista, alegando que “o trabalhador tem muitos direitos e não tem emprego”.

A criação do BIP tanto no setor privado, quanto público depende de mudanças na lei. A equipe econômica aguarda a aprovação do relatório do deputado Christino Áureo (PP-RJ), que incluiu o mecanismo no texto da medida provisória (MP), que trata da redução de salário e de jornada.

A proposta precisa ser votada até o início de setembro, senão perderá a validade.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA