ÁGUA BOA

Economia

‘Não é fácil’, diz Bolsonaro sobre Reforma Tributária

Publicado em

Economia


source
Bolsonaro acredita que agilidade do Congresso é preponderante para aprovação da Reforma Tributária neste ano
Isac Nóbrega/PR

Bolsonaro acredita que agilidade do Congresso é preponderante para aprovação da Reforma Tributária neste ano

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (03), em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada, que a tramitação da reforma tributária não será fácil , mas vê a aprovação da medida pelo Congresso Nacional até o fim deste ano. Bolsonaro aproveitou para elogiar a atuação dos presidentes da Câmara dos Deputados , Arthur Lira (Progressistas-AL), e do Senado , Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em agilizar pautas econômicas. 

“A gente está tentando a reforma tributária, que não é fácil”, disse Bolsonaro. 

“O Congresso, com as novas direções, está indo bem”, emendou. 

A reforma tributária é uma das prioridades do governo federal para este ano e foi promessa de campanha de Bolsonaro nas eleições de 2018. Em maio, a Comissão Mista que analisava o tema optou por tramitar a PEC 45, proposta pelo deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), adversário político de Lira. Após a aprovação, o presidente da Câmara desfez a validade da comissão e afirmou que será criado outro grupo de estudos para analisar o tema. 

Enquanto parlamentares independentes e oposição querem votar a matéria inteira, o Palácio do Planalto pretende dividir o texto entre às duas Casas Legislativas para agilizar a tramitação . A proposta foi aceita por Lira e Pacheco, em reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

A Câmara dos Deputados deverá cuidar das propostas do governo, inclusive a unificação de impostos, como o PIS e Cofins . Já o Senado será responsável por analisar o novo modelo do Refis e revisar regras constitucionais de tributos. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Morre de Covid-19 ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni

Publicados

em


source
Carlos Langoni
Divulgação/Banco Central do Brasil

Carlos Langoni


O ex-presidente do Banco Central do Brasil e diretor do Centro de Economia Mundial da FGV, Carlos Geraldo Langoni, 76, morreu na madrugada deste domingo (13) por complicações da Covid-19.

O economista estava intubado no hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, desde novembro do ano passado. As informações são do colunista do O Globo Ancelmo Gois.

Em atualização

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo de SP lança programa para parcelar dívidas de impostos; entenda
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA