ÁGUA BOA

Economia

Orçamento do auxílio emergencial chega a R$ 40 bi e ultrapassa Bolsa Família

Publicado em

Economia


source
Governo já empenhou mais de R$ 40 bilhões
Reprodução: iG Minas Gerais

Governo já empenhou mais de R$ 40 bilhões

Os pagaementos da quinta e sexta parcelas do auxílio emergencial fez o governo federal ultrapassar a verba de R$ 40 bilhões, prevista para 2021. O valor também ultrapassa o total de investimento previsto para o Bolsa Família em 2021.

Apenas para as outras três parcelas adicionais do benefício – agosto, setembro e outubro – a União deve destinar R$ 20 bilhões. Só na quinta parcela do benefício, o governo empenhou R$ 5,4 bilhões para R$ 35 milhões de beneficiários.

Os gastos com auxílio neste ano também ultrapassaram os investimentos para o Bolsa Família, que tem R$ 35 bilhões do Orçamento deste ano. Devido aos gastos deste ano e na tentativa de aumentar a popularidade, o governo federal deverá criar um novo programa social e reajustar em até 50% as atuais parcelas do Bolsa Família. No entanto, a proposta esbarra no Orçamento de 2022. 

A proposta ainda será discutida pelo Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF, pois as dívidas com precatórios inviabilizam o reajuste do programa. Entretanto, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentou uma sugestão para criar um teto de precatórios, ou seja, limitar os gastos com despesas judiciais em 2022. 

Parcela liberada 

A Caixa Econômica Federal liberou nesta segunda-feira (13) o saque da quinta parcela do auxílio emergencial para trabalhadores informais nascidos em julho. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375.

O dinheiro já foi pago em agosto, mas só estava disponível para compras, pagamentos e transferências, por meio de conta digital no aplicativo Caixa Tem. O pagamento do auxílio é feito de acordo com o mês de nascimento, no caso dos trabalhadores informais, e com o último dígito do NIS (Número de Inscrição Social), para quem é do Bolsa Família.

Segundo o governo, 45,6 milhões de pessoas estão recebendo o auxílio em 2021, cerca de 22,6 milhões a menos do que no auxílio emergencial de R$ 600, pago no ano passado (68,2 milhões de pessoas).

Confira as datas de saque

  • Nascidos em janeiro – 1º de setembro
  • Nascidos em fevereiro – 2 de setembro
  • Nascidos em março – 3 de setembro
  • Nascidos em abril – 6 de setembro
  • Nascidos em maio – 9 de setembro
  • Nascidos em junho – 10 de setembro
  • Nascidos em julho – 13 de setembro
  • Nascidos em agosto – 14 de setembro
  • Nascidos em setembro – 15 de setembro
  • Nascidos em outubro – 16 de setembro
  • Nascidos em novembro – 17 de setembro
  • Nascidos em dezembro – 20 de setembro
Leia Também:  Com alta da inflação e crise econômica, Bancos projetam PIB abaixo de 1% em 2022

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Arábia Saudita retoma importações de carne bovina do Brasil

Publicados

em


source
Arábia Saudita acaba com embargo às importações de carne bovina brasileira
Reprodução

Arábia Saudita acaba com embargo às importações de carne bovina brasileira

O governo da Arábia Saudita decidiu acabar com o embargo às importações de carne bovina brasileira na última quinta-feira (16). A informação foi divulgada pelo Saudi Food and Drug Authority (SFDA), a agência do governo saudita que regula alimentos e medicamentos no país, e confirmada pelo Ministério da Agricultura.

A Arábia Saudita havia suspendido as compras de carne bovina de cinco frigoríficos brasileiros após a notificação de casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como a doença da vaca louca.

Leia Também

“A liberação das exportações ocorreu 10 dias após a Arábia Saudita ter anunciado a suspensão das compras de cinco plantas frigoríficas de Minas Gerais, no último dia 6 de setembro. A motivação estava relacionada à ocorrência de um caso da Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) no estado”, informou o Ministério da Agricultura em nota.

No último dia 4, a pasta havia confirmado a ocorrência da doença em dois animais de frigoríficos de Nova Canaã do Norte (MT) e de Belo Horizonte (MG). Tratavam-se de caso atípicos – quando a causa é uma mutação em um único animal, e não por meio da contaminação entre dois ou mais bovinos. Ainda assim, o governo brasileiro decidiu suspender, temporariamente, as exportações de carne bovina para a China, em respeito a um protocolo de segurança firmado entre os dois países.

Dois dias depois da confirmação dos casos, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) manteve o status do Brasil de país com “risco insignificante” para a vaca louca. Para o órgão, os animais foram atingidos de forma independente e isolada. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA