ÁGUA BOA

Economia

Reforma administrativa de Bolsonaro: especialista questiona policiais de fora

Publicado em

Economia


source
A especialista em administração e burocracia estatal foi a entrevistada do Brasil Econômico ao Vivo desta quinta-feira (10)
Brasil Econômico

A especialista em administração e burocracia estatal foi a entrevistada do Brasil Econômico ao Vivo desta quinta-feira (10)

A professora de administração pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Alketa Peci, foi a entrevistada do  Brasil Econômico ao Vivo desta quinta-feira (10). Ela classificou a proposta de reforma administrativa que tramita no Congresso Nacional como “colcha de retalhos” . Por isso, a situação dos policiais , por exemplo, precisaria de uma discussão mais ampla. 

Quando perguntada sobre os agentes de segurança pública , apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro, ela lembra que estes não seriam afetados pela proposta. 

“Os órgãos de atividade exclusiva do Estado não seriam incluídos no fim da estabilidade, ou outras características da reforma dos vínculos de trabalho”, disse. 

Leia Também:  Tarifa do Mercosul: entenda a queda de braço entre Guedes e Argentina

No entanto, ela fez questão de ressaltar que esta é a teoria , porque, na prática, a ideia não foi sequer apresentada. “Não tem nenhum documento que balize qual é a construção do papel do Estado. Nada disso foi apresentado até então.”

Você viu?

Caso dos Estados Unidos 

Peci mencionou a situação da reforma nos Estados Unidos, em que o ex-presidente Donald Trump conseguiu acabar com a estabilidade dos servidores públicos federais. Entretanto, já no atual governo Biden, houve um retrocesso, e os estados passaram a avaliar reformas próprias. 

“O fim da estabilidade se justifica pelo desempenho. Em saúde, por exemplo, imagine em que situação o país estaria se toda a força burocrática mudasse junto com o governo”, argumenta. 

“A estabilidade te garante continuidade de políticas públicas”, finalizou a especialista.

Veja o vídeo:


COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Morre de Covid-19 ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni

Publicados

em


source
Carlos Langoni
Divulgação/Banco Central do Brasil

Carlos Langoni


O ex-presidente do Banco Central do Brasil e diretor do Centro de Economia Mundial da FGV, Carlos Geraldo Langoni, 76, morreu na madrugada deste domingo (13) por complicações da Covid-19.

O economista estava intubado no hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, desde novembro do ano passado. As informações são do colunista do O Globo Ancelmo Gois.

Em atualização

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Vazamento de produto tóxico em fábrica mata oito trabalhadores na China
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA