ÁGUA BOA

Esportes

Atletas militares representarão 27% da delegação brasileira em Tóquio

Publicado em

Esportes


A 50 dias da abertura da Olimpíada, o Brasil contabiliza 232 vagas confirmadas em Tóquio 2020. Desse total, 63 foram asseguradas por desportistas inseridos no Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) das Forças Armadas. Entre as 17 modalidades com atletas militares está o vôlei de praia, cuja dupla feminina formada pelas terceiro-sargentos: Ágatha Rippel (Marinha) e Eduarda Lisboa, mais conhecida como Duda (Exército) . A parceria, já com presença assegurada em Tóquio, está junta já quatro anos e tem no currículo a medalha de prata na Rio 2016. Nesta temporada, já conquistaram três medalhas (ouro, prata e bronze) nas primeiras etapas de Cancún (México) do Circuito Mundial da modalidade. 

Ágatha e Duda vencem holandesas e estão na final em Cancún. Ágatha e Duda vencem holandesas e estão na final em Cancún.

Só nesta temporada do Circuito Mundial de Vôlei, as terceiros-sargentos Ágatha (Marinha) e Duda (Exército) já faturam três medalhas – Divulgação/FIVB

O PAAR foi criado em 2008 pelo antigo Ministério do Esporte, atual Ministério Cidadania, em parceria com o Ministério da Defesa, com o objetivo de contribuir para o fortalecimento da equipe militar em eventos esportivos de alto nível. Além dos benefícios da carreira militar – assistência médica, incluindo nutricionista e fisioterapeuta – os atletas inseridos no PAAR têm a sua disposição para treinar no Rio de Janeiro dos centros da Marinha (Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes-Cefan), do Exército (Centro de Capacitação Física do Exército-CCFEX e Complexo Esportivo de Deodoro) e da Aeronáutica (Universidade da Força Aérea – Unifa).

Leia Também:  Eliminatórias: seleção faz último treino antes de viagem para o RS

Outro destaque entre os atletas integrantes do PAAR é Gabriel Constantino. Aos 26 anos, o terceiro-sargento do Exército é especialista da prova dos 110 metros com barreiras. O carioca afirma que integrar o PAAR, em meio à pandemia, foi fundamental para manter o alto desempenho.

Gabriel Constantino - atleta militar - Tóquio 2020 - olimpíada Gabriel Constantino - atleta militar - Tóquio 2020 - olimpíada

O ´velocista Gabriel Constantino, terceiro-sargento do Exército, é especialista na prova dos 100 metros com barreiras – 04/02/2021/Divulgação/Ministério da Saúde

Outro destaque entre os atletas integrantes do PAAR é Gabriel Constantino. Aos 26 anos, o terceiro-sargento do Exército é especialista da prova dos 110 metros com barreiras. O carioca afirma que integrar o PAAR, em meio à pandemia, foi fundamental para manter o alto desempenho.

“Tivemos diversas adaptações e não seria possível eu treinar com tão alta performance. Continuei mantendo meus treinos, fisioterapia, acompanhamento médico e com nutricionista. Graças ao Programa, chego para representar o Exército e o Time Brasil nas Olimpíadas de Tóquio”, destacou o velocista em depoimento ao site do Ministério da Defesa. 

Ainda no atletismo, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica contribuíram com 17 medalhas para a delegação brasileira no Campeonato Sul-Americano da modalidade. Ao todo, foram dez ouros, duas pratas e cinco bronzes. O torneio ocorreu no final de maio, em Guayaquil (Equador). 

Leia Também:  Pelo primeiro confronto, América empata com o Criciúma na Copa do Brasil

Da canoagem slalom, Ana Sátila, terceiro-sargento da Aeronáutica, garantiu a vaga olímpica no Campeonato Mundial, na Espanha, em 2019. Mesmo classificada, a atleta, de 25 anos, passou por dificuldades para manter o ritmo da preparação por causa da pandemia. 

Ana Sátila , canoagem Ana Sátila , canoagem

A atleta Ana Sátila, terceiro-sargento da Aeronáutica, competirá pela primeira vez na carreira em duas categorias da canoagem – a K1 (caiaque) e a C1 (canoa) – em Tóquio 2020 – Reprodução/Instagram/Ana Sátila

“Fiquei quatro meses treinando em casa, mas a gente conseguiu manter bem a parte física”, disse a atleta que, pela primeira vez na carreira, competirá em duas categorias da canoagem, a K1 (caiaque) e a C1 (canoa).

Nesta sexta-feira (4) terá início a aplicação da segunda dose da vacina contra o novo coronavírus (covid-19) no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte e Fortaleza. A imunização teve início no último dia 14, após a doação de vacinas pela Comitê Olímpico Internacional (COI). Uma ação interministerial – Ministérios da Defesa, da Saúde e da Cidadania – com apoio do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Paralímpico Brasileiro (COB) comanda a logística de vacinação de atletas pelo país. Até o momento, mais de 1280 integrantes do Time Brasil foram vacinados com a primeira dose. 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Juventude-MS bate Assoeva-RS no Sul e se recupera na LNF

Publicados

em


Neste domingo (13), com transmissão ao vivo da TV Brasil, o Juventude-MS foi até Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul, e fez 6 a 4 na Assoeva Futsal-RS, no Ginásio Poliesportivo Parque do Chimarrão, em partida válida pelo Grupo 2 da Liga Nacional de Futsal (LNF).

O principal destaque da partida foi Rikelme, autor de três gols do time visitante. O goleiro Bigode, com boas defesas e autor do quinto gol, também foi uma figura decisiva na vitória dos visitantes. O resultado deixou o Juventude em 6º na chave com seis pontos em quatro jogos disputados, dois a menos do que a maioria dos rivais. A Assoeva tem sete pontos em sete jogos disputados, com duas vitórias, um empate e quatro derrotas e é o 5º colocado.

Com nove minutos de bola rolando, Joãozinho abriu o placar para o Juventude. Ele avançou pela esquerda e bateu cruzado, o goleiro rival defendeu, mas no rebote a bola bateu em Duda Bello e foi para o gol. Três minutos depois, Rikelme ampliou com oportunismo. O time gaúcho diminuiu a diferença quase no fim da etapa com Boni na sobra do goleiro. Na etapa final, a Assoeva empatou com dois minutos de jogo com um gol de Valdin. Mas o Juventude seguiu tranquilo no jogo e pulou na frente novamente com Rikelme.

Leia Também:  Copa do Brasil: Cruzeiro supera Juazeirense e fica perto das oitavas

Com oito minutos de jogo na segunda etapa, Lucas Freitas fez 4 a 2. A Assoeva reduziu o prejuízo aos 12 minutos com Pedrinho batendo na saída do goleiro.

O placar apontava 4 a 3 para os visitantes. Na tentativa de empatar, a Assoeva utilizou o goleiro-linha e foi penalizada. Faltando dois minutos, Bigode aproveitou o erro do rival e bateu para o gol adversário vazio fazendo 5 a 3. Logo depois, Bigode lançou Rikelme que desviou de cabeça para marcar o sexto gol. Boni ainda diminuiu no último minuto para fechar o placar em 6 a 4.

Na primeira fase da LNF, os times jogam entre si, em turno e returno, dentro dos grupos. Os cinco primeiros avançam às oitavas de final. O sexto colocado só avança se pontuar mais que as equipes que ocuparem o mesmo posto nas demais chaves. O Juventude disputa a competição pela primeira vez, enquanto a Assoeva participa da Liga Nacional desde 2010, sendo vice-campeã em 2017.

Leia Também:  Palmeiras se reapresenta na Academia de Futebol com Menino, Kuscevic e coletivo

Edição: Gustavo Faria

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA