ÁGUA BOA

Esportes

Brusque-SC vence o Vila Nova-GO fora de casa pela Série B

Publicado em

Esportes


No estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, o Bruscão superou o Tigre por 1 a 0

Vila Nova-GO e Brusque-SC duelam pela Série B

Vila Nova-GO e Brusque-SC duelam pela Série B
Créditos: Lucas Gabriel Cardoso/Brusque

Na tarde desta quarta-feira (21), no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, em Goiânia, o Brusque-SC venceu o Vila Nova-GO por 1 a 0, pela 13ª rodada da Série B do Brasileirão. O resultado coloca o Bruscão na sétima posição, com 19 pontos. O Tigre fica no 13ª lugar, com 14 pontos.

+Confira a tabela completa da Série B do Brasileirão!

O jogo

Em Goiânia, o Tigre começou o jogo no ataque. Antes de completar um minuto de jogo, o mandante quase abriu o placar com chute de Clayton. Zé Carlos defendeu. O Brusque respondeu aos 35 minutos. Garcez aproveitou cruzamento na área e finalizou por cima do gol. Um minuto depois, o Vila respondeu com chute de Alesson da entrada da área. 

Aos 42 minutos, Rafael Donato cabeceou forte e Zé Carlos evitou o gol do Tigre outra vez. O Quadricolor também teve a chance de balançar as redes antes do intervalo. Edu, aos 46, surgiu livre na área e cabeceou por cima do gol.

O segundo tempo começou com o time goiano no ataque. Aos oito minutos, Willian Formiga chutou de primeira e Zé Carlos defendeu. Três minutos depois, Arthur Rezende cobrou falta com categoria e o goleiro espalmou. Apesar da pressão dos mandantes, o Brusque abriu o placar aos 15 minutos. Everton Alemão cabeceou para o fundo das redes. Aos 25 minutos, o atacante Thiago Alagoano quase ampliou. O camisa 100 se livrou da marcação, mas parou na defesa de Georgemy.

Fonte: https://www.cbf.com.br/futebol-brasileiro/competicoes/campeonato-brasileiro-serie-b-jogos/2021-42-2-122

  Chapecoense assume a 3ª posição com empate de 0 a 0 contra América – MG

Leia Também:  Vela: São Paulo recebe Brasileiro da Classe Star

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Inspirados por Ítalo, surfistas mirins sonham com medalha olímpica

Publicados

em


O brasileiro Ítalo Ferreira conquistou o primeiro ouro olímpico do surfe em Tóquio e, se a reação em sua cidade-natal servir de referência, não será o último de uma das nações mais destacadas no esporte, onde muitos se sentem em casa no meio das ondas.

Os surfistas mirins de Baía Formosa, uma pequena cidade litorânea do Rio Grande do Norte, se inspiram há tempos no novo campeão olímpico, e sua medalha só aumenta a motivação em progredir no esporte.

“Foi muito interessante notar o quanto essa medalha do Ítalo trouxe um novo fôlego para o surfe e uma nova inspiração para essas gerações que estão vindo”, disse Daniel Grubba, um agente de surfistas da One Sports Agency.

Grubba estava em Baía Formosa na semana passada em busca de jovens talentos para contratar, e um deles era Maria Clara Dornelas, uma moradora local de 12 anos.

Maria Clara Dornelas, de 12 anos, já compete em torneios nacionais de surfe. Maria Clara Dornelas, de 12 anos, já compete em torneios nacionais de surfe.

Maria Clara Dornelas, de 12 anos, já compete em torneios nacionais de surfe. – Rodolfo Buhrer/Reuters/Direitos reservados

“Eu me inspirei nele (Ítalo) muitas vezes, quando estou competindo em um campeonato lembro dele e faço mais ou menos o que ele fez”, disse Maria Clara depois de vencer o Maresia Pro, uma competição nacional na qual enfrentou rivais com o dobro de sua idade. “Alegria, porque estar levando uma medalha para sua cidade deve ser incrível, e imagine medalha de ouro!”, acrescentou.

Apesar do maior destaque alcançado pelo ouro olímpico, o sucesso do surfe não é novo no Brasil.

Os três principais surfistas do ranking masculino da World Surf League são todos brasileiros e uma das cinco melhores mulheres também.

Outra surfista, a carioca Maya Gabeira, quebrou no ano passado o recorde mundial de maior onda surfada: uma parede de água de 22,4 metros de altura no litoral português.

Mas a inclusão e o sucesso na Olimpíada dão ao esporte um impulso enorme.

“É legal poder inspirar as outras pessoas, não só as crianças, mas outras pessoas que têm um outro sonho, que não vivem diretamente do esporte, mas que têm grandes sonhos, que tentam conquistar algo”, disse Ítalo nesta semana pouco depois de voltar do Japão. “Ter a minha história como inspiração e motivação, acho que isso é muito gratificante”, afirmou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pelo Campeonato Brasileiro, Santos empata com o Juventude na Vila Belmiro
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA