ÁGUA BOA

Esportes

Ginastas criticam investigação do FBI sobre casos de abuso sexual

Publicado em

Esportes


A ginasta olímpica McKayla Maroney disse nesta quarta-feira (15) em depoimento no Congresso dos Estados Unidos que se sentiu traída por agentes do FBI (polícia federal dos EUA) que não investigaram o ex-médico da equipe norte-americana de ginástica Larry Nassar, apesar de a atleta ter contado em depoimento que foi abusada sexualmente por ele.

O diretor do FBI, Chris Wray, afirmou ao painel do Senado que as ações dos agentes que atrapalharam a investigação são indesculpáveis, e anunciou que um dos agentes “não trabalha mais para o órgão em qualquer função”.

“Lamento profundamente”, disse Wray.

Maroney é uma das quatro atletas, junto com Simone Biles, Aly Raisman e Maggie Nichols, que prestaram depoimento ao Comitê Judiciário do Senado, que investiga a condução incorreta da investigação pelo FBI.

Maroney afirmou que em 2015 ela passou três horas ao telefone contando ao FBI detalhes do caso, incluindo relatos de abuso sexual que ela sofreu durante os Jogos de 2012 (Londres) por Nassar, a quem ela descreveu como “mais pedófilo” do que médico.

Leia Também:  Tênis de mesa: Eric Jouti alcança fase principal do WTT Star Contender

Apenas em julho deste ano, no entanto, foi revelado pelo inspetor-geral do Departamento de Justiça, em um relatório, o que o FBI realmente fez com as informações que ela forneceu: deixou de documentar o caso por um ano e meio e deturpou o que ela contou a eles sobre as experiências.

“Não apenas o FBI não relatou meu abuso, mas quando finalmente documentou meu relato 17 meses depois, eles fizeram alegações totalmente falsas sobre o que disse”, declarou Maroney.

Sua colega de equipe Biles acrescentou: “Falharam conosco e merecemos respostas”.

A investigação do FBI sobre Nassar começou em julho de 2015, após o presidente da USA Gymnastics (Federação de Ginástica dos Estados Unidos), Stephen Penny, relatar as alegações ao escritório do FBI em Indianápolis e fornecer aos agentes os nomes de três vítimas dispostas a serem interrogadas.

Esse escritório, então liderado pelo agente especial responsável W. Jay Abbott, não abriu formalmente uma investigação. O FBI interrogou apenas uma testemunha meses depois, em setembro de 2015, e não documentou formalmente essa entrevista em um relatório oficial conhecido como “302” até fevereiro de 2017, bem depois de o FBI prender Nassar sob a acusação de posse de imagens sexualmente explícitas de crianças em dezembro de 2016.

Leia Também:  Série B: Brusque perde 3 pontos como punição por discriminação racial

O escritório também não compartilhou as alegações com as agências locais ou estaduais de segurança.

O FBI anteriormente chamou o comportamento de Abbott de “terrível” e disse que o agente especial de supervisão permanece com o FBI, mas não é mais um supervisor e “não está trabalhando em mais nenhum assunto do FBI”.

Nassar, que foi médico principal das ginastas olímpicas, foi condenado em 2017 a 60 anos de prisão sob a acusação de posse de material de abuso sexual infantil.

No ano seguinte, ele também foi condenado, respectivamente, a 175 e a 125 anos em dois tribunais separados em Michigan, por molestar ginastas sob seus cuidados. Os promotores estimam que ele agrediu sexualmente centenas de mulheres.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Caxias-RS abre vantagem sobre União-MT pelas oitavas da Série D

Publicados

em


O Caxias-RS saiu na frente do União Rondonópolis-MT na disputa por uma vaga nas quartas de final da Série D do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (25), o time gaúcho superou o Tourão do Cerrado por 2 a 0 no Centenário, em Caxias do Sul (RS). A partida foi transmitida ao vivo pela TV Brasil.

O duelo de volta será no sábado que vem (2), às 16h (horário de Brasília), no Estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis (MT). O time grená se classifica mesmo se perder por um gol. Os mato-grossenses precisam vencer por três ou mais gols para avançarem às quartas. Em caso de triunfo colorado por dois gols de diferença, a decisão da vaga será nos pênaltis.

A partida marcou a volta do público ao Centenário após 574 dias de ausência, devido à pandemia do novo coronavírus. Com autorização do governo estadual para ter até 2,5 mil pessoas no estádio, o Caxias liberou a entrada somente de associados com mensalidade em dia, que tiveram de apresentar comprovantes de vacinação contra a covid-19 ou do teste com resultado negativo para o vírus.

Os primeiros movimentos de partida já indicavam a tônica da etapa inicial: pouca intensidade de ambos os lados, com um Caxias mais perigoso e um União buscando os contra-ataques. Se não foi brilhante, a equipe grená soube aproveitar melhor os espaços. Aos 13 minutos, o meia Matheuzinho cruzou pela direita e o lateral Bruno Ré, como um centroavante, apareceu pela esquerda, às costas da marcação, para cabecear e abrir o placar.

Leia Também:  Série B: Brusque e Vasco contará com a presença de público

Sem pressa, a equipe gaúcha quase aumentou aos 35. O zagueiro Thiago Sales dominou pela esquerda e levantou na área. O atacante Milla escorou de cabeça, mas o goleiro Neneca salvou com um tapa e mandou a bola no travessão. O União, apesar de chutar mais a gol, levou pouco perigo à meta gaúcha.

Na etapa final, Jean Dias quase surpreendeu os visitantes logo aos três minutos. O meia, que entrou no intervalo, bateu escanteio pela esquerda e encobriu Neneca. O zagueiro Barão, porém, salvou em cima da linha. O União respondeu aos sete, em chute de fora da área do atacante Eltinho que deu trabalho ao goleiro Marcelo Pitol. Mas quem chegou ao gol foi o Caxias. Aos 12, o lateral Lucas Carvalho rolou na área para Jean Dias girar em cima de Barão e bater cruzado.

Em desvantagem, o Tourão avançou as linhas para tentar diminuir o prejuízo, mas encontrou dificuldades para concluir as jogadas. O jeito foi apostar em arremates de longe, como aos 28 minutos, quando o meia Edson Carvalho dominou pela esquerda e arriscou da intermediária. A bola foi rente ao travessão. Apesar de mais perigosos, os gaúchos se contentaram em administrar o resultado final.

Leia Também:  Tênis de mesa: Eric Jouti alcança fase principal do WTT Star Contender

Mais Série D

Mais três jogos movimentaram as oitavas de final da Série D neste sábado. O Atlético-CE superou o Paragominas-PA por 2 a 0 no Domingão, em Horizonte (CE), com gols dos atacantes Erick Pulga e Hítalo. Os cearenses avançam às quartas mesmo se perderem por um gol de diferença no duelo de volta, daqui uma semana, no interior paraense.

Em Bento Gonçalves (RS), na Montanha dos Vinhedos, a Ferroviária-SP venceu o Esportivo-RS por 2 a 1. O atacante Gleydson e o zagueiro Bruno Leonardo balançaram as redes para os paulistas e o atacante Matheus Batista descontou para os gaúchos. As equipes voltam a jogar no próximo domingo (3), em Araraquara (SP). A Locomotiva tem a vantagem do empate.

No Amigão, em Campina Grande (PB), o Campinense-PB derrotou o Guarany de Sobral-CE, também por 2 a 1. O lateral Felipinho marcou para os anfitriões, o atacante Hugo igualou e o atacante Matheus Regis, nos acréscimos da etapa final, garantiu a vitória da Raposa. As equipes se reencontram no domingo que vem, em Sobral (CE). Os paraibanos se classificam em caso de empate.

Edição: Fábio Massalli

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA