ÁGUA BOA

Mato Grosso

Batalhão Ambiental da PM apreende madeira ilegal e aplica multa a dona de propriedade no interior

Publicado em

Mato Grosso


Policiais do Batalhão de Proteção Ambiental apreenderam 107 m³ de madeira ilegal, 172 lascas do material clandestino, na quarta- feira (07.07), no município de Arenapólis. A proprietária da área inspecionada foi conduzida à Delegacia e multada em mais de R$ 36 mil por crime ambiental.

Pela manhã, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de extração de madeira em uma área de reserva. Os policiais ambientais da PM foram até a propriedade localizada na zona rural do município. A equipe constatou a presença de funcionários que estavam construindo um curral com uma grande quantidade de madeira.

A madeira estava serrada, em palanques e quadrados. Ainda na inspeção na propriedade, os policiais encontraram mais madeira as margens de mata, o material estava cortado em toras, lascas e pranchão com sinais recentes de corte. A proprietária compareceu ao local e não apresentou nenhuma documentação legal sobre a procedência da madeira.

Ao todo, a PM apreendeu 107 m³ de madeira ilegal, 172 lascas do material irregular. A proprietária da área foi multada e encaminhada à Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Arenapólis.

Leia Também:  Governo lamenta falecimento de proprietário do jornal Diário de Cuiabá

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

Preservação de local de crime e balística são temas de palestra em Seminário

Publicados

em


O diretor-geral em substituição legal da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Emivan Batista de Oliveira, apresentou, nessa quarta-feira (29.07), a palestra ‘Balística e Preservação de Local de Crime’ no 2º Seminário de Patrulhamento Tático, realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá.

Durante sua apresentação, o diretor pontuou o papel da perícia criminal no processo investigativo, destacando a importância da preservação do local de crime, considerando que, quanto maior o número de vestígios preservados em uma cena de crime, melhor e mais fácil será a resolução do caso. 

De acordo com o parágrafo único do artigo 169 do Código Processo Penal (CPP), quando isso não ocorre, o perito oficial criminal deve registrar no laudo as alterações, bem como as consequências dessas alterações na dinâmica dos fatos. 

O diretor destacou também a necessidade de policiais trabalharem em prol de garantir a preservação do local de ocorrência. “Estamos abertos a dar instruções com mais tempo e mais técnica sobre essa questão, porque, no meu entendimento, os colegas que possuírem esse conhecimento serão muito beneficiados. Com isso nós conseguimos elaborar um laudo pericial muito mais concreto, relatando a veracidade dos fatos e a dinâmica em que ocorreu aquele fato”, disse.

Ainda durante a palestra, Emivan abordou a perícia de balística, que realiza exames em armas de fogo e projéteis. Esses exames são realizados mediante requisição policial ou judicial, buscando responder os quesitos oficiais que compõem o inquérito criminal. 

No âmbito da Politec são realizados Entre esses: exame de identificação de arma de fogo com ou sem elementos identificadores; exame de caracterização de projétil de arma de fogo; exame de caracterização de estojo de munição de arma de fogo; exame de verificação da possibilidade de ocorrência de tiro acidental; entre outros.

No circuito de palestras do 2º Seminário de Patrulhamento Tático, evento que integra a celebração dos 20 anos do Batalhão da Rotam, ainda foram debatidos temas como a Lei de Abuso de Autoridade, sancionada em setembro de 2019; e também sobre o trabalho das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam-MT), precursora e referência no País em patrulhamento tático.

 *Com supervisão de Tita Mara Teixeira 

 
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo lamenta falecimento de proprietário do jornal Diário de Cuiabá
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA