ÁGUA BOA

Mato Grosso

Estado simplifica licenciamento para geração de energia solar

Publicado em

Mato Grosso


A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) possui licenciamento simplificado para quem quer produzir energia fotovoltaica em Mato Grosso, que atende desde a pessoa física até o empreendedor que pode gerar energia. A afirmação é da secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

“O Governo de Mato Grosso incentiva tecnologias inovadoras de diversas formas, inclusive no âmbito do licenciamento ambiental para energia solar temos um regulamento mais simplificado que em outros estados brasileiros. Criamos a Licença por Adesão e Compromisso e a Licença Simplificada. Só para grandes empreendimentos que o licenciamento convencional é utilizado”, explica a gestora.

A instalação de placas solares com capacidade de geração de até 1 MW (Megawatt) por empreendimento, como o caso de uso residencial, está dispensado de realizar licenciamento desde que não esteja em área de interesse ambiental. É necessário apenas a autorização da concessionária de energia para conexão na rede.

No intervalo de 1 a 5 MW, a geração se enquadra em um Licenciamento por Adesão e Compromisso (LAC), considerando que se trata de instalação a operação de atividade ou empreendimento considerado de reduzido impacto ambiental. Já empreendimentos de geração de energia fotovoltaica de até 30 MW se beneficiam da Licença Ambiental Simplificada (LAS).

Leia Também:  Em ação conjunta, Gefron e Polícia Civil recuperam motocicleta que estava em poder de um estrangeiro

Acima de 30 MW de geração de energia, que geralmente são usinas de produção ou grandes empreendimentos, há exigências de estudo e relatório de impactos ambientais (EIA/RIMA) para licenciamento ambiental. A LAC e a LAS foram criadas pela Lei nº 668, de 24 de julho de 2020.

“Além disso, as taxas do licenciamento foram todas reduzidas ainda em 2020, também como incentivo para este tipo de empreendimento. Nas nossas matrizes dos licenciamentos ambientais temos fomentado a geração de energia, principalmente quando um empreendimento, já no seu processo industrial, é capaz de produzir energia. Como por exemplo as Usinas de Etanol de Milho, que fazem um aproveitamento daquela planta industrial”, conta.

Ela cita que esta simplificação também fomenta o uso de biomassa para geração de energia térmica, muito utilizado na produção do etanol de milho, para ser incorporado à matriz energética do estado. Com isso, o excedente da produção de energia das plantas industriais contribui para alimentar o Sistema Nacional e beneficia a população.

Leia Também:  Governo de MT já pactuou cerca de 90% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Taxas reduzidas

A redução das taxas para pequenos empreendimentos que produzem energia por placas fotovoltaicas é um dos atrativos. Para quem produz até 1 MW, há a isenção de taxas pela dispensa do licenciamento. A taxa para quem gerar de 1 a 5 MW é padrão para todos os empreendimentos que se enquadram na LAC, que é três Unidades de Padrão Fiscal (UPF), que equivale a R$200,81 cada, neste mês de setembro. 

Acima de 5 MW, com a LAS, o cálculo passa a ser 30 Unidades de Padrão Fiscal (UPF), mais o valor de R $1093,95 para cada KW que ultrapassar a base de cálculo, que é 5 MW.
 
Qualquer um dos pedidos de licenciamento, seja ele por adesão, simplificado, ou de grandes empreendimentos, deve ser protocolado na Sema-MT. Para mais informações acesse o nosso site: www.sem.mt.gov.br.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

Lei Seca remove 31 carros e 6 motocicletas em operação na Avenida da FEB

Publicados

em


Sessenta e oito veículos foram fiscalizados e 72 testes de alcoolemia aplicados na Operação Integrada Lei Seca, realizada na noite desta quinta-feira (23.09), na Avenida da FEB, em frente a Guarda Municipal de Várzea Grande. Do total, 45 veículos foram autuados e 37 removidos, sendo 31 carros e 6 motocicletas. Também foram recolhidas 15 CNH e 4 documentos do veículo.

Nove pessoas foram presas pelo crime de trânsito de dirigirem completamente embriagadas, outras 11 autuadas por conduzir veículo sem habilitação ou entregar o controle do veículo a alguém sem CNH. Oito pessoas tiveram que assinar Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por não possuírem habilitação e serem flagradas ao volante.

Ao todo, foram aplicados 67 Autos de Infração de Trânsito, sendo 16 por condução do veículo sob efeito do álcool (artigo 165 do Código Brasileiro de Trânsito), 7 por recusa do teste de alcoolemia (artigo 165-A), 21 por condução do veículo sem registro ou licenciamento (artigo 230), 11 por não possuir CNH e 12 por outros motivos.

Leia Também:  Mais de 400 passageiros de ônibus recebem orientações de segurança no trânsito

A Operação Lei Seca em Várzea Grande foi realizada pelo Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp), Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), Detran, Guarda Municipal de Várzea Grande e a Policiais penais do Serviço de Operações Especiais Penitenciárias (SOE).

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA