ÁGUA BOA

Mato Grosso

Polícia Civil recebe 2 mil cestas básicas para distribuir a famílias em situação de vulnerabilidade social

Publicado em

Mato Grosso


A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Coordenadoria de Polícia Comunitária, recebeu 2 mil kits com alimentos básicos e produtos de higiene e limpeza, do programa “Vem ser Mais Solidário” coordenado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

A retirada das cestas básicas ocorreu na manhã desta quarta-feira (24.11), na Arena Pantanal, em Cuiabá, e faz parte do lançamento da campanha institucional “Natal Solidário PJC 2021”, promovida em parceria com a Diretoria do Interior. 

Os alimentos não perecíveis serão entregues pela Polícia Civil a famílias em situação de vulnerabilidade social dos 141 municípios de Mato Grosso, proporcionando assim um natal mais feliz e fraterno.

Cada cesta é composta por arroz, feijão, óleo, macarrão, café, açúcar, sal, sardinha, farinha de trigo, extrato de tomate, além de kit de limpeza e de higiene pessoal, com sabonete, água sanitária, detergente líquido e sabão em barra.

Foram entregues 140 kits para cada uma das treze Delegacias Regionais do interior: Água Boa, Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Guarantã do Norte, Juína, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Tangará da Serra.

Os kits das Delegacias Regionais de Cuiabá e Várzea Grande serão distribuídos pela equipe da Coordenadoria de Polícia Comunitária na região metropolitana, durante a ação simultânea que ocorrerá no dia 17 de dezembro.

Leia Também:  Transformação Digital no serviço público é tema de Webinar

Além das cestas repassadas pela Unidade de Ações Sociais e Atenção a Família (UNAF), as Delegacias Regionais também estão promovendo nas respectivas unidades arrecadações de alimentos, roupas e brinquedos que contribuirão com a campanha “Natal Solidário PJC 2021”.

Conforme o coordenador de Polícia Comunitária, Jefferson Dias Chaves, este ano a Polícia Civil fará a campanha de natal de forma integrada, trabalhando com um único objetivo de atender o maior número possível de famílias. 

“É uma forma de unirmos mais uma vez para uma missão tão nobre, que é levar um pouco de alento para as famílias que não tem sequer o que comer. É fundamental essa parceria com a Setasc que nos dá esse incentivo, para que cada regional retorne para sua unidade, e aumente mais ainda essa colaboração para nossa campanha solidária”, finalizou o delegado.

A assessora da primeira-dama, professora Julieta Domingues, falou sobre a importância da adesão da Polícia Civil ao trabalho social coordenado por Virgínia Mendes, que tem como princípio fazer com que nenhuma família sinta a dor da fome.

“Esta é a segunda etapa dessa parceria que somente fortalece e estreita os laços com a Polícia Civil. Há alguns meses já houve a primeira entrega de alimentos, e agora é segundo momento de grande porte, onde estão sendo encaminhadas para os treze polos, 2 mil kits destinados às famílias mais vulneráveis, e que precisam do olhar e da força da mão do estado”, destacou a professora.

Leia Também:  Jucemat implanta novo gerador de documentos online

Julieta agradeceu a Polícia Civil pelo empenho na campanha solidária. “A Polícia Civil é nossa parceira, a qual precisamos do apoio e queremos sempre por perto”. 

Após percorrer mais de 700 quilômetros para chegar na Capital, a investigadora Rayd Wassem Osti, da Regional de Guarantã do Norte, descreveu a satisfação em buscar as cestas básicas e poder levar para as pessoas mais necessitadas de sua região. “Meu sentimento de resume em gratidão. É maravilhoso poder carregar esperança em forma de alimento e principalmente ajudar aqueles que realmente precisam e passam por necessidades”, disse a policial civil.

Parceria

O Governo do Estado, por meio da primeira-dama Virginia Mendes, é a idealizadora da ação social que tem como objetivo amenizar o sofrimento das pessoas em situação de vulnerabilidade, bem como ajudar famílias mato-grossenses que foram fragilizadas e atingidas pela pandemia.

A distribuição dos alimentos nos municípios está sob a responsabilidade das Secretarias Municipais de Assistência Social e orientação e monitoramento da Setasc. As famílias beneficiadas são cadastradas no Cadastro Único dos Programas Sociais.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

Agricultores são selecionados para fornecer hortifrutigranjeiros às escolas de Alto Boa Vista

Publicados

em


Com assistência técnica da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), agricultores de Alto Boa Vista (a 1.059 km de Cuiabá) são selecionados em chamada pública para fornecer hortifrutigranjeiro a unidades de ensino do município.

A seleção é realizada por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), uma iniciativa do Governo Federal que oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar. Quatro agricultores já foram selecionados fornecerão frutas, verduras e legumes para três escolas, três deles com projeto e orientação da Empaer. Os valores variam entre R$ 3 mil e R$ 10 mil.

Um dos exemplos é a agricultora do Projeto de Assentamento Casulo, Daniela Oliveira Cardoso, que ficou muito feliz ao saber que foi uma das selecionadas.

“Eu e meu marido trabalhamos duro no campo para manter três filhos. Fomos informados sobre PNAE e graças à assistência técnica da Empaer vamos ter uma renda a mais que nem esperamos para o final do ano. Vai vir em uma boa hora e ajudar muito nas contas de casa”.

Leia Também:  Transformação Digital no serviço público é tema de Webinar

A extensionista social da Empaer, Daniele Renata Alves Figueiredo, destaca a parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura que auxiliou na identificação dos produtores e nos orçamentos. Ela frisa que a chamada pública continua aberta para interessados e a primeira compra já foi realizada.

“Esse é mais dos trabalhos desenvolvidos pela equipe técnica.  Assim que surgiu a oportunidade, buscamos os agricultores que se interessaram e foram contemplados. É uma forma de incentivar o pequeno produtor, ajudando na nutrição dos alunos e trazendo renda aos que necessitam. Estamos a disposição caso haja interesse de novos agricultores”.

O limite de venda do pequeno produtor para o PNAE é de R$40 mil, para beneficiar os agricultores familiares, assentados da reforma agrária, as comunidades tradicionais indígenas, comunidades quilombolas, entre outros.

Técnica da Empaer, Daniele com a merendeira da Escola Municipal Betel, Selma Alves e o produtor, Valdir Caldeira.  Foto: Empaer

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA