ÁGUA BOA

Mato Grosso

Seciteci promove o fortalecimento da agricultura familiar sustentável por meio de projeto inovador

Publicado em

Mato Grosso


A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), por meio da Escola Técnica Estadual (ETE) de Sinop (localizada a 500 km de Cuiabá), promove ações de apoio ao pequeno produtor, em conjunto com outros parceiros, que englobam o Projeto Gaia (Rede de Cooperação para a Sustentabilidade).

O Gaia tem como objetivo propiciar a melhoria do processo de gestão para comercialização dos gêneros agroecológicos produzidos por agricultores familiares. Os professores da ETE ofertam conhecimentos em áreas como administração, agronomia, agroecologia e agricultura. Eles realizam pesquisas sobre agroecologia em Sinop e agricultura familiar no município de Claúdia.

O professor da ETE, Sérgio Gaspar, que é um dos integrantes do Projeto Gaia, explica que a ação se tornou possível por meio de iniciativa em conjunto de integrantes de diferentes Instituições públicas, privadas e de profissionais autônomos.

“Desde 2019, este grupo vem realizando ações visando o fortalecimento de uma Rede de Cooperação para a produção, a comercialização e o consumo de alimentos saudáveis, orgânicos e/ou agroecológicos, produzidos por agricultores familiares rurais, urbanos e periurbanos de Sinop e região”, disse.

Leia Também:  Seduc trabalha projetos voltados à qualidade de vida do servidor da educação

Segundo o professor da ETE, Milton Mauad, que também integra a equipe do Gaia, o projeto auxilia em todo ciclo de produção, que vai desde a cadeia produtiva, até a sensibilização dos consumidores para a compra dos produtos.

“Com esforços em conjunto, estamos ensinando e apoiando os pequenos produtores, e, desta forma, entendemos que a educação profissional tem papel fundamental nesse processo, possibilitando que os estudantes experimentem novas formas de se relacionar com o trabalho e as novas formas de produção e consumo que vem sendo demandadas no últimos anos”, falou.

De acordo com a coordenadora do Gaia, Rafaella Arantes, o projeto é fundamental para disseminar a ecologia pra produtores e pessoas que querem produzir, com baixo custo, de forma sustentável e ainda fomentar a venda.

“A ideia é construir um ecossistema sustentável na nossa região, contemplando desde a produção até a comercialização. Pretendemos estabelecer e fortalecer a rede de cooperação, inserindo mulheres no mercado, para que elas também tenham oportunidades e uma fonte de renda. O foco é promover a melhoria da qualidade de vida no campo e na cidade”, disse a coordenadora do Gaia.

Leia Também:  Prefeitos apostam na primeira ferrovia estadual para alavancar desenvolvimento de Mato Grosso

O projeto Gaia também conta com o apoio de outras instituições, como a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Empraba).

O trabalho executado de forma coletiva visa colaborar com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU). A Agenda 2030 contempla 17 objetivos integrados e indivisíveis, que equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

O foco do Projeto, tem como objetivo: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável, com a implementação de sistemas sustentáveis de produção de alimentos, de práticas agrícolas resilientes que aumentem a produtividade e a produção, que ajudem a manter os ecossistemas, que fortaleçam a capacidade de adaptação às mudanças climáticas, às condições meteorológicas extremas, secas, inundações e outros desastres, e que melhorem progressivamente a qualidade da terra e do solo.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

Sábado (31): Mato Grosso registra 490.313 casos e 12.773 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (31.07), 490.313 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 12.773 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 671 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 490.313 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 10.696 estão em isolamento domiciliar e 465.327 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 450 internações em UTIs públicas e 280 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 81,97% para UTIs adulto e em 32% para enfermarias adultos.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (99.696), Rondonópolis (34.842), Várzea Grande (32.805), Sinop (23.540), Sorriso (17.156), Tangará da Serra (16.812), Lucas do Rio Verde (14.609), Primavera do Leste (12.990), Cáceres (10.685) e Barra do Garças (9.976).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia Também:  Seduc trabalha projetos voltados à qualidade de vida do servidor da educação

O documento ainda aponta que um total de 376.852 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 516 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na sexta-feira (30.07), o Governo Federal confirmou o total de 19.880.273 casos da Covid-19 no Brasil e 555.460 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país tinha 19.839.369 casos da Covid-19 no Brasil e 554.497 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados deste sábado (31.07).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  Inscrições para o Enem são abertas e estudantes de MT têm reforço nos estudos

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA