ÁGUA BOA

Mato Grosso

Setores hoteleiro e de eventos comemoram reaquecimento da economia durante Copa América

Publicado em

Mato Grosso


A presidente do Sindicato das Empresas de Eventos de Mato Grosso, Alcimar Moretti, enxerga a realização de jogos da Copa América em Mato Grosso, competição marcada para ter início neste domingo (13), na Arena Pantanal, como positiva para o setor.

“São sete países da América do Sul assistindo jogos realizados em Mato Grosso, que é um destino turístico em potencial. Então, é importante que esse destino seja divulgado. Com certeza vai repercutir positivamente em 2022. Acredito que seja muito positiva a vinda da Copa América para o estado”, afirmou.

Para Luiz Carlos Nigro, presidente do Sindicato Intermunicipal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de Mato Grosso (SHRBS-MT), esta é uma oportunidade de reaquecer o setor, tão prejudicado em tempos de pandemia, e movimentar a economia de toda uma cadeia produtiva.

“Faz tempo que não tínhamos um movimento tão bom no setor de hotelaria. Agradecemos ao governador Mauro Mendes e ao secretario de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um, por trazerem a Copa América para Cuiabá. E não é só a hotelaria que ganha, empresas de aluguel de vans ganham, de turismo, taxistas, recepcionistas de eventos, vários profissionais contratados, organizadores. Vai movimentar toda uma cadeia que faz girar a economia. E claro, seguindo à risca todos os protocolos de biosegurança exigidos”, ressalta Nigro.

As seleções ficarão hospedadas no Gran Odara, Deville e Holiday Inn. Parte do estaff também deve ficar no Hotel Paiaguás. “O setor hoteleiro, um dos mais prejudicados com as restrições impostas pela pandemia, será contemplado durante a competição. Serão, no máximo, 65 pessoas por delegação. Este número foi limitado pela Conmebol por conta do controle sanitário”, pontuou o secretário Beto Dois a Um.

Rígido protocolo de biosegurança

Pela primeira rodada da Copa América, fase de grupos, Colômbia e Equador se enfrentam neste domingo (13.06), às 20h (horário de Cuiabá), na Arena Pantanal. As equipes desembarcam na noite de sexta-feira (11), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, sob um forte esquema de segurança.

Leia Também:  Governo retoma entrega de escrituras de imóveis para famílias dos bairros de Cuiabá

Todas as partidas (serão cinco jogos na Arena Pantanal) ocorrerão sem público, por conta dos protocolos de biosegurança para conter a disseminação do coronavírus.

Todos os profissionais que trabalharão dentro da Arena Pantanal, seja na organização da Copa América ou na cobertura do evento terão que passar por testes de Covid-19 a cada 48 horas, tendo jogo ou não, até o fim dos jogos em Cuiabá. 

A competição, além dos jogadores, contará ainda com membros de comissões técnicas, equipes de transmissão, jornalistas. “É importante ressaltar que tudo será realizado com um protocolo rígido de biosegurança. Delegações chegarão testadas e continuarão sendo testadas durante todo o evento esportivo. Todos os profissionais que participarão da Copa América serão testados antes de entrarem no estádio. Nos hotéis ficarão em alas separadas dos demais hospedes e farão refeições separadas também”, explica Beto Dois a Um.  

Na quinta-feira (10),  uma reunião entre as forças de segurança estaduais e federais com a Conmebol foi realizada para deliberar sobre o fechamento do entorno da Arena Pantanal e dos locais de treino das seleções da Colômbia e Equador, ruas de acesso do estádio e os de treinamento, escolta do aeroporto, hotéis e nos gramados.

Da saída das aeronaves até os dois hotéis em Cuiabá que vão hospedar as delegações, não haverá contato com público. Eles já vêm todos testados de seus países de origem e realizam novo teste antes dos jogos.

No sábado (12), as seleções da Colômbia e Equador devem fazer treino de uma hora em Várzea Grande e em Cuiabá, fechados para imprensa. Dentro dos locais, apenas os jogadores, equipe técnica, segurança privada e representantes da Conmebol.

Leia Também:  "Cesta básica está garantindo o alimento da minha família", afirma dona de casa

Já do lado de fora dos locais de treino, a Guarda Municipal fechará algumas vias de acesso em Várzea Grande e a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) deve fazer o mesmo em Cuiabá. A PRF e a Polícia Militar estarão do lado externo. Nenhum tipo de aglomeração de pessoas será permitido.

Todos os policiais envolvidos no esquema de segurança estão vacinados contra a Covid-19 ou tiveram que passar por testes para ver se estão ou não com vírus ativo. Todas as pessoas que acessarem o estádio também terão que ter se submetido a testes do tipo PCR, sejam jornalistas, quanto às delegações e os policiais.

Arena Pantanal entre os melhores estádios do Brasil

Recentemente, Carlos Alves, coordenador da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) esteve em Cuiabá para conferir as adequações da Arena Pantanal para o Campeonato Brasileiro. A Arena renovada acabou por chamar a atenção da CBF, fazendo com que o estádio mato-grossense fosse selecionada para sediar a Copa América. 

“O Governo de Mato Grosso está dando um tratamento à altura para esse estádio de Copa do Mundo, um merecido estádio. Parabéns pelas reformas realizadas. A Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer está de parabéns”, disse Carlos Alves, coordenador da CBF.

“Estamos muito felizes com os resultados alcançados. A Arena Pantanal está linda, pronta para receber as partidas do Brasileirão e da Copa América. Em nome do governador Mauro Mendes, da primeira-dama Virginia Mendes, e de toda a equipe da Secel, recebo com alegria o reconhecimento da CBF”, diz o secretário Beto Dois a Um.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

Perícia toxicológica descarta a presença de veneno em restos mortais de avô de menina supostamente morta pela madrasta

Publicados

em


A Gerência de Perícias de Toxicologia Forense da Politec concluiu a perícia nos restos mortais coletados durante exumação realizada pela Diretoria Metropolitana de Medicina Legal do senhor Edson Emanoel Leite de Oliveira, 63 anos, avô de Mirella Poliane Chue. A criança, de 11 anos, morreu no dia 13 de junho de 2019, após ser supostamente envenenada pela madrasta.

O laudo foi concluído no dia 07 de maio deste ano, e não apontou nenhuma substância suspeita nos restos mortais, somente medicamentos corriqueiros, que possivelmente ele estava tomando por algum tratamento de saúde.

O trabalho investigativo havia apontado a suspeita de que a madrasta teria envenenado também o avô paterno da vítima. No curso das diligências, a Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) de Cuiabá solicitou exames para a constatação da possibilidade da morte do homem ter sido causada por envenenamento – ocorrida em março de 2018. A vítima morava com o avô e, com a morte dele, a menina passou a ficar com a indiciada.

O perito oficial criminal Paulo Sérgio Vasconcelos de Oliveira destaca que o tipo de veneno que fora pesquisado é bastante resistente à decomposição, sendo empregado como princípio ativo encontrado em pesticidas utilizados para controle de pragas em lavouras, permanecendo no solo por longos períodos de tempo.

Leia Também:  Seciteci é a primeira secretaria de ensino técnico do Brasil a ser cadastrada no PAR

“O exame pericial foi feito com uma técnica bastante sensível, que é a cromatografia gasosa associada à espectrometria de massas. Feito isso, nós repetimos as análises e conseguimos localizar a presença de fragmentos de benzodiazepínicos, característicos típicos de intervenções médica. O nosso alvo foi a procura de substâncias intoxicantes, como venenos, especialmente o carbofurano que foi encontrado inicialmente na análise da sua neta, no entanto esta substância não foi encontrada em seu avô. Se houvesse a presença desta substância, haja vista que foi encaminhada o material do baixo abdômen e da parte excretora, certamente nós o encontraríamos”, citou.

Caso Mirella

Mirella Poliane morreu de causa inicialmente indeterminada. A criança deu entrada em um hospital privado de Cuiabá, já em óbito, e como o hospital não quis declarar a morte, foi acionada a DHPP para liberação do corpo, que solicitou perícia por precaução, diante da falta de evidência de morte violenta. Em princípio, houve suspeita de meningite, bem como de abuso sexual, mas exame de necropsia pelo Instituto Médico Legal descartou o abuso.

Leia Também:  Gefron prende suspeito que transportava drogas em porta-malas do carro

A Politec coletou materiais para exames complementares e, conforme Pesquisa Toxicológica Geral realizada pelo Laboratório Forense, foram detectadas no sangue da vítima duas substâncias, uma delas um veneno que provoca intoxicação crônica ou aguda e a morte.

O caso foi então remetido à Deddica, que durante as investigações desvendou o plano de envenenamento em virtude de a criança ter recebido uma indenização em decorrência da morte de sua mãe por erro médico, durante parto dela em um hospital de Cuiabá.

A equipe da Deddica concluiu que o crime foi premeditado e praticado em doses diárias, pelo período de dois meses. A indiciada causou a morte da menina usando o veneno, de venda proibida no Brasil, e ministrando gota a gota entre abril e junho de 2019.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA