ÁGUA BOA

PREJUÍZO

Incêndio mata 13 cabeças de gado e destrói 90 hectares de pastagens em MT

Publicado em

Meio Ambiente

Além de vitimar o gado, o incêndio na fazenda da família Flores destruiu quase 90 hectares de pasto – Foto: José Flores

Em Mato Grosso, um incêndio causou prejuízos em propriedades rurais e matou dezenas de cabeças de gado. A região afetada pelo fogo enfrenta uma estiagem há mais de 120 dias.

O cenário é de total estrago causado pelo fogo na propriedade da família Flores, em Nova Olímpia. O incêndio destruiu cercas, áreas de preservação, quase 90 hectares de pasto e matou 13 cabeças de gado de corte.

“É uma coisa que a gente não consegue explicar. Um sentimento de impotência. A gente pensou que iria pegar fogo na casa, ficou todo mundo no meio da fumaça. Estava ventando muito forte na hora e a gente achou que fosse acabar com tudo na hora, mas Deus foi mais forte e conseguiu livrar um pouco das benfeitorias a casa, como o curral que nós temos”, relata o pecuarista José Roberto Flores.

Na propriedade que foi atingida pelo incêndio, a família conseguiu salvar a criação de porcos, galinhas, ovinos e grande parte do rebanho bovino de 250 animais. No entanto, algumas vacas ficaram feridas pelo fogo.

Leia Também:  Jovem de 22 anos é assassinado em Aragarças com seis tiros no início da madrugada

“Estamos medicando 18 vacas que foram queimadas. A parte de reserva queimou tudo, a nascente de água, então foi uma perda muito grande, um desespero. O fogo era muito forte na cana, na mata que faz divisa com a nossa propriedade e não deu como segurar. Em questão de meia hora o fogo destruiu tudo. A matéria orgânica vai uns cinco anos para recuperar, é muito doído”, desabafa o pecuarista José Flores, que é pai de José Roberto Flores.

De acordo com a Defesa Civil de Nova Olímpia, o incêndio foi acidental e teve início no domingo às margens da rodovia MT-358. O fogo chegou a ser controlado, mas o vento e a vegetação seca ajudaram a espalhar as chamas. Além da propriedade da família Flores, outras também foram atingidas pelo fogo, que matou ao todo, 30 cabeças de gado e destruiu mais de 1,5 mil hectares entre áreas de reserva legal, canaviais e pastagens.

Foto: José Flores

“Recebemos um chamado no domingo e nos deparamos com um incêndio médio e grande proporção. Na segunda-feira conseguimos conter todo o fogo da região. Mas veio um redemoinho muito grande e provocou uma terceira frente de fogo ocasionando um dano maior que pegou parte de floresta e também propriedades. Acionamos a corporação dos bombeiros no domingo mesmo para ajudar, e também o apoio aéreo da Defesa Civil do estado que fizeram a contenção das residências para não tivesse uma tragédia maior”, destaca o coordenador municipal de meio ambiente, proteção e Defesa Civil, Valdocir Santos.

Leia Também:  Querência - Operação Integrada da Policia Militar realiza apreensão de drogas

Em nota, o Corpo de Bombeiros disse que o fogo está controlado, mas ainda existem alguns focos sendo monitorados.

Olho no Araguaia – Canal Rural.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Meio Ambiente

Mato Grosso detecta e autua 100% do desmatamento ilegal

Publicados

em

Durante reunião entre os governadores do Consórcio da Amazônia Legal, o governador Mauro Mendes destacou que Mato Grosso autuou 100% do desmatamento ilegal cometido no estado em 2020. Além disso, o estado conseguiu reduzir em 41% a prática deste crime neste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

A reunião, via videoconferência, ocorreu na manhã desta quarta-feira (15.09). “Temos um forte mecanismo de monitoramento por satélite, em tempo real, de tudo aquilo que acontece no estado de Mato Grosso. O serviço permite detectar qualquer movimento nos nossos biomas de desmatamento acima de meio hectare. Se não for um desmatamento autorizado, as nossas ações de fiscalização entram em cena. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) fez um estudo recente que mostra que 100% de todo o desmatamento ilegal ocorrido em 2020 foi autuado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente”, afirmou.

Conforme o estudo da UFMG, o número de autuações realizadas pela Sema é similar ao número de detecções de desmatamento ilegal feitas pelo Prodes, responsável por produzir os dados oficiais das taxas de desmatamento na Amazônia.

Leia Também:  Veja como foi a cerimônia de lançamento da Ferrovia Centro Oeste - FICO em Mara Rosa GO

“Não há como um governante pensar ações de presente e futuro sem colocar o meio ambiente em sua estratégia. Fizemos fortes ações e investimentos nesse sentido. Nossa estratégia nesse primeiro momento é não permitir o desmatamento ilegal. Para vocês terem uma ideia, reduzimos de 2020 para 2021 em 41% o desmatamento ilegal. E continuamos firmes nessa direção”, pontuou o governador.

Mauro Mendes reforçou que Mato Grosso é o principal produtor de commodities agrícolas do país, sendo o maior em produção de soja, milho, algodão, carne bovina e etanol de milho. E que mesmo com esse volume de produção, mantém 62% do território integralmente preservado.

O gestor ainda defendeu a necessidade de reforçar a integração entre as políticas de preservação dos setores público e privado. “Produzir alimento é muito importante porque o Brasil e o mundo precisam disso. É preciso criar mais sinergia entre as estratégias públicas e privadas, já que os grandes players do agronegócio possuem setores internos voltados para a área de compliance ambiental. Uma estratégia bem alinhada entre governo e iniciativa privada é importante para que nós possamos atingir nossos objetivos e, além de frear o desmatamento ilegal, trabalhar para  recuperar as áreas afetadas”, completou.

Leia Também:  Jovem de 22 anos é assassinado em Aragarças com seis tiros no início da madrugada

Olho no Araguaia/ Folha Max

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA