ÁGUA BOA

PANDEMIA

Tocantins registra novamente mais de 200 casos de covid; 104 apenas nas últimas 24h

Publicado em

Pandemia

População deve continuar mantendo os cuidados e medidas sanitárias.

O Tocantins contabilizou mais 202 novos casos confirmados de Covid-19, sendo 104 das últimas 24 horas, conforme o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (23/11).

Atualmente, há 537 casos ativos em todo o estado, sendo que 76 pessoas estão hospitalizadas. Destas, 41 estão em leitos de UTI em hospitais públicos e privados.

As cidades que mais registraram novos casos foram: Rio Sono (25); Augustinópolis (15) e Araguatins (14). Araguaína teve apenas sete novos casos.

ÓBITOS

O boletim também confirmou mais duas mortes causadas por complicações da doença, mas são de pessoas que faleceram em meses anteriores e que só agora foram confirmadas pela Secretaria da Saúde.

Uma das vítimas fatais é uma mulher de 77 anos, moradora de Dianópolis, que faleceu no dia 22 de setembro no Hospital Regional de Gurupi. A outra vítima da doença é um homem de 63 anos, também de Dianópolis, que faleceu no Hospital Regional de Porto Nacional, no dia 09 de junho.

Leia Também:  Separados por um ponto, Santos e Flamengo duelam pelo Brasileiro

TOTAL DE CASOS E ÓBITOS POR CIDADE

DADOS GERAIS

Atualmente, o Tocantins acumula 231.561 casos confirmados. Destes, 227.112 estão recuperados, 537 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 3.912 foram a óbito.

O Estado possui uma plataforma onde todos podem acompanhar os números da Covid-19 no Tocantins: http://integra.saude.to.gov.br/covid19

Olho no Araguaia – AF Notícias

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Pandemia

Fiocruz confirma: 90% dos casos de covid em MT são da variante ômicron

Publicados

em

A análise foi feita em 95 amostras de 40 municípios do Estado.

Pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Laboratório Central de Mato Grosso (Lacen-MT), confirmou que, em janeiro de 2022, 90% dos casos confirmados de covid-19 são fruto da variante Ômicron, ou seja, 9 em cada 10 casos.

A análise foi feita pela equipe coordenada pelo pesquisador da Fiocruz, Luiz Carlos Júnior Alcântara, que recebeu 95 amostras. Desse total, 48 foram enviadas pelos municípios do Estado ao Lacen e 47 foram provenientes da pesquisa realizada em pacientes assintomáticos e já vacinados.

Conforme resultado da análise, em agosto de 2021 cerca de 60% das variantes em circulação no estado eram Gamma e 40% eram Delta. Em dezembro de 2021, o estudo mostrou a prevalência de 75% da variante Delta e de 25% da variante Ômicron. Em janeiro de 2022, foi identificado nas amostras a predominância de 90% da variante Ômicron contra cerca de 10% da variante Delta.

Leia Também:  Mega-Sena paga prêmio de R$ 43 milhões no sorteio deste sábado (2)

“Esses resultados evidenciam a importância de mantermos ativas as medidas não farmacológicas ao longo do processo de vacinação para que seja possível reduzir a transmissão sustentada do patógenos a nível nacional, prevenindo a potencial emergência de outras variantes de interesse e/ou preocupação internacional”, diz o pesquisador Luiz Carlos Júnior Alcântara no relatório da pesquisa.

As amostras são provenientes de pacientes dos municípios de Guarantã do Norte, Conquista D’Oeste, Lambari D’Oeste, Alto Araguaia, Chapada dos Guimarães,  Campo Novo do Parecis, Juscimeira, Alto Araguaia, Diamantino, Tangará da Serra,  Poconé,  Nova Santa Helena,  Tapurah,  Nova Canaã do Norte, Colíder, Nova Guarita, Gloria D’Oeste, Nova Brasilândia, Rondonópolis, Nova Ubiratã, Porto Esperidião, Rio Branco, Salto do Céu, Reserva do Cabaçal, Jaciara, Nova Lacerda, Planalto da Serra, Barra do Bugres, Santa Rita do Trivelato, Dom Aquino, Campo Novo do Parecis, Várzea Grande, Cuiabá, Nobres, Cáceres, Comodoro, São José Dos Quatro Marcos, Nossa Senhora Do Livramento, Alta Floresta e Santo Antônio do Leverger.

Leia Também:  Separados por um ponto, Santos e Flamengo duelam pelo Brasileiro

A diretora do Lacen-MT, Elaine Cristina de Oliveira, avalia positivamente a pesquisa no sentindo de identificar as variantes em circulação no estado e analisar a predominância delas entre os casos confirmados do coronavírus. “Os esforços de sequenciamento são necessários para a geração de novos dados genômicos que permitirão o monitoramento das variantes do vírus SARS-CoV-2 circulantes. A partir dessa identificação os gestores conseguem trabalhar políticas públicas de enfrentamento a disseminação do vírus”, diz Elaine.

A diretora ainda explica que sobre as ações de vigilância genômica em Mato Grosso, o Lacen iniciou as atividades de sequenciamento genético em outubro de 2021 e até momento já sequenciamos 160 amostras e 64 amostras ainda estão em análise.

No período de 2020 e 2021, o laboratório envio aos laboratórios de referência 360 amostras. Desse total, 118 tiveram resultado sequenciados. Já para a equipe do projeto de pesquisa a unidade estadual enviou 256 amostras, das quais foram sequenciadas 158.

Olho no Araguaia – Repórter MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA