ÁGUA BOA

Policial

Delegacia da Mulher de Cuiabá ganha noa estrutura com mais qualidade para atendimento à vítimas de violência

Publicado em

Policial


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Prestes a comemorar 35 anos de instalação, a Delegacia de Defesa da Mulher de Cuiabá, a primeira criada em Mato Grosso, ganhou uma nova sede para melhor atendimento e acolhimento de vítimas de violência doméstica e sexual e atividades laborais dos servidores. Inaugurada nesta terça-feira (08.06) pelo governador Mauro Mendes, secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante e o delegado-geral da Polícia Civil, Mário Dermeval, a nova sede da DEDM faz parte do planejamento estratégico de modernização das estruturas físicas da instituição.

O novo prédio tem uma área total de 1,6 mil metros quadrados, sendo 975 metros de área construída para acomodar os cartórios de quatro delegados, além do cartório central, sala de investigadores, atendimento psicossocial, sala de espera para vítimas, um amplo estacionamento, entre outros ambientes. O prédio é uma construção nova e recebeu as adaptações necessárias para abrigar a unidade policial, inclusive com a construção de celas.

Mauro Mendes lembrou do respeito ao cidadão na aplicação dos recursos dos cofres públicos, a exemplo do que vem sendo investido pelo programa Mais MT em diversas áreas ad administração pública estadual. “Fazer com qualidade é demonstrar respeito ao cidadão. É ofertar ao servidor mais conforto para que ele ao final possa entregar melhores serviços ao cidadão mato-grossense”.

Criada pela Lei Estadual 4.965, de dezembro de 1985, a Delegacia da Mulher de Cuiabá foi instalada sete meses depois, em uma casa próxima à Feira da Mandioca, na Capital, onde começou a atuação da unidade na defesa dos direitos e garantias de vítimas de violência, tendo como pioneira nesse processo a delegada Miedir Santana, já aposentada da Polícia Civil. Miedir recebeu do então secretário de Segurança Pública à época, Oscar Travassos, a missão de implantar a delegacia na Capital. Ela então manteve contato com o Conselho Feminino, em São Paulo, presidido pela deputada Ruth Escobar e daí em diante iniciaram-se os trâmites para criar a nova delegacia. Sete meses depois, a delegada e sua equipe começavam a trabalhar na unidade.

Leia Também:  Ponto de desmanche de motocicletas e de comércio de drogas é desarticulado pela Polícia Civil em Rondonópolis

Defesa da mulher

A atual titular da unidade, delegada Jozirlethe Magalhães Criveletto, lembrou do histórico de criação da delegacia e das profissionais que passaram pela unidade. “A criação não veio de uma comoção, como resultado de um movimento de mulheres. Mas veio como resultado do movimento de uma mulher, Miedir Santana, que disse assim, ‘vou enfrentar isso’. E nasceu essa menina, que foi abrigada em uma casa muito simples, na Praça da Mandioca. Seu sonho era atender as vítimas que chegavam frustradas e em busca de auxílio. Essa delegacia cresceu pela força de uma mulher, que ia de porta em porta pedindo ajuda para estruturar a unidade. Às vezes, ela colocava as vítimas em seu próprio carro e as levava para casa, pois não tinham para onde ir. Em outras ocasiões, levava as mulheres para os exames no IML”, contou a titular sobre os primeiros anos de implantação da Delegacia da Mulher.

Jozirlethe destaca ainda que a unidade acompanhou o crescimento da luta em defesa da mulher com a criação de uma lei, a Maria da Penha, por força de outra mulher e ganhou responsabilidade de ser a principal porta de entrada de vítimas de violência doméstica na Capital. “Ao longo desse crescimento, veio também a necessidade de capacitar nossos servidores para acompanhar a evolução da legislação e enfrentar os desafios de acolher as vítimas de violência doméstica. E tudo o que fazemos depende do trabalho em rede, do trabalho em parceria com MP, Judiciário, Casa de Amparo, Patrulha Maria da Penha e Defensoria, de mostrar às vítimas quais são seus direitos e acolhê-las dignamente. A delegacia não é apenas para fazer a investigação criminal, que é o papel fundamental da Polícia Civil. Entendemos que o acolhimento também faz parte desse atendimento e sabemos da responsabilidade de cada um aqui em dar o melhor para esse acolhimento e este espaço se traduz nesse crescimento”, afirmou a delegada.

Leia Também:  Motorista de prefeitura é preso embriagado após ir a prostíbulo e atrasar entrega de vacinas

Mudança
A nova estrutura da unidade especializada conta com um espaço amplo e adaptado para melhor atendimento e acolhimento a vítimas de violência doméstica e familiar, além de proporcionar um ambiente adequado de trabalho para os servidores.

O prédio está localizado na Avenida Carmindo de Campos, 2.109, bairro Jardim Paulista (esquina com a Rua Bahia), próximo ao Banco do Brasil.

A nova sede da DEDM faz parte do planejamento estratégico de modernização das estruturas físicas da Polícia Civil, investimento que vem sendo executado desde 2019, com a entrega de reformas e construções, além da locação de novos espaços. O delegado-geral da instituição, Mário Dermeval, lembrou da necessidade buscada pela diretoria a fim de garantir estruturas dignas de trabalho para os servidores e que atendam com qualidade a população. “Viramos mais uma página na história da polícia, cumprindo a meta de proporcionar uma estrutura que possa acolher dignamente as vítimas que nos procuram, um ambiente diferente e com qualidade, pois as mulheres que aqui chegam merecem total atenção tendo em vista o crescimento de índices de violência”, destacou o delegado.

Dermeval lembrou ainda do investimento em novos equipamentos e mobiliário para a nova sede da DEDM, que recebeu 20 novos computadores instalados e outros dez já adquiridos, e móveis planejado. “A estrutura foi pensada como forma de melhor acolher essa mulher que já chega à unidade vitimizada e necessita de um atendimento humanizado e também ofertar aos nossos policiais um espaço digno, metas que vão ao encontro da proposta do programa MT Mais”, pontuou o delegado-geral.

O secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, reforçou a necessidade de cada vez mais o Estado investir na qualidade das estruturas de atendimento à população, a exemplo do que vem sendo aplicado na Polícia Civil. “Dar às vítimas mais tranquilidade e qualidade, reinvestindo o que o cidadão paga em impostos ao Estado”.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Polícia Civil recupera dois veículos produtos de crimes na região de fronteira

Publicados

em


Assessoria | Polícia Civil-MT                   

Dois veículos de proveniências ilícitas foram apreendidos e três jovens presos pela Polícia Civil, na sexta-feira (11.06),  na zona rural do município de Vila Bela da Santíssima Trindade (521 km a oeste de Cuiabá). O Toyota Etios e o Jeep Renegade recuperados pertencem a duas empresas locadoras de veículos que funcionam na cidade de Belo Horizonte (MG). 

Os suspeitos de 21, 20 e 20 anos, foram autuados em flagrante pelo crime de receptação. Dois deles, que conduziam os veículos, também responderão por dirigir veículo sem possuir CNH ou permissão para dirigir. 

Durante diligências de combate a criminalidade na região de fronteira deflagradas pela Delegacia de Vila Bela da Santíssima Trindade, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Grupo Especial de Fronteira (Gefron), uma equipe de investigadores recebeu denúncia sobre a existência de veículos de origem ilícita adentrando na área rural do município e que seguiam para a Bolívia. 

De posse das informações, os policiais civis passaram a apurar os fatos e a percorrer a região pelas estradas conhecidas como “cabriteiras”. Após chegaram na porteira de uma propriedade rural, foram avistados os dois veículos com as mesmas características mencionadas na denúncia e que vinham na direção da viatura.

Leia Também:  Polícia Civil prende suspeitos de receptação e recupera objetos furtados avaliados em mais de R$ 20 mil

Assim que se aproximaram, o Jeep Renegade com dois ocupantes acelerou bruscamente, momento em que foi dado ordem de parada. Ato contínuo foi realizada a abordagem dos veículos, sendo que ambos condutores não possuíam carteira nacional de habilitação (CNH). Durante as checagens foi constatado que o carro Toyota Etios era produto de furto qualificado e o Jeep Renegade produto de apropriação indébita.

Perguntados sobre os fatos, os homens que dirigiam contaram que haviam pego os veículos em Pontes e Lacerda, bem como receberiam a quantia de R4 1,5 mil para levarem até a Bolívia. Já o rapaz que estava como passageiro contou que estava na função de abrir as porteiras e para isso ganharia o valor de R$ 500. 

Diante do flagrante os três envolvidos foram conduzidos até a Delegacia de Vila Bela da Santíssima Trindade, junto com os veículos apreendidos, onde foram interrogados e autuados em flagrante delito. Após a confecção dos autos, o trio foi colocado à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT
Leia Também:  Suspeito é preso com pistola e drogas após ameaçar matar a mulher em Ribeirão Cascalheira

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA