ÁGUA BOA

Policial

Garimpo e loteamento rural ilegais são multados em R$ 628 mil no norte do estado

Publicado em

Policial


Lorena Bruschi | Sema-MT

Equipes de fiscalização aplicaram multas de R$ 628 mil durante fiscalização de um loteamento rural em Paranaíta (a 760 km de Cuiabá), e um garimpo em Carlinda (654 km distante de Cuiabá), ambos flagrados sem licença ambiental. A ação ocorreu nos dias 6 e 7 de junho, no extremo norte de Mato Grosso, como parte das ações da Operação Amazônia. 

A operação foi realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) de Alta Floresta, e a Polícia Judiciária Civil (PJC), por meio da Delegacia de Alta Floresta. 

Nesta terça-feira (08.06), houve o embargo de um Loteamento Rural que estava sendo instalado às margens do Rio Paranaíta, na área do reservatório da Usina Hidrelétrica Teles Pires, sem possuir Licença de Instalação. Uma pessoa foi conduzida para a delegacia. 

Foram aplicadas duas multas, uma no valor de R$ 58.250,00, por destruir 11,65 hectares de vegetação nativa da Floresta Amazônica, sem possuir autorização do órgão ambiental, e a maior multa, de R$ 500.000,00, por instalar empreendimento potencialmente poluidor, também sem autorização. Foram apreendidas duas escavadeiras hidráulicas e uma motoniveladora. 

Leia Também:  Força Tática apreende revólver e 5 munições durante patrulhamento em Araguaiana

No município de Carlinda, a fiscalização flagrou um garimpo que estava funcionando sem Licença de Operação, e quatro pessoas foram conduzidas à delegacia. O empreendimento foi multado em R $70 mil. 

Na ocasião, foram apreendidos uma escavadeira hidráulica e dois motores, que foram removidos e ficaram sob a guarda da Prefeitura Municipal. 

A delegada regional de Alta Floresta, Ana Paula Reveles, destaca que a Polícia Civil tem feito constantes ações em conjunto com a Sema buscando o combate aos crimes ambientais ocorridos  em toda a região.

Pelo garimpo ilegal em Carlinda, não houve apreensão de matéria-prima, porém foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência pelo artigo 55 da Lei de Crimes Ambientais. Pelo loteamento rural ilegal localizado em Paranaíta, também foi instaurado um TCO pelo desmate para construção de obras, previstos nos artigos 60 e 50, da Lei  9.605/1998 (Lei de Crimes Ambientais).

Operação Amazônia

A operação Amazônia é contínua, mas teve as ações intensificadas na segunda fase, que tem como objetivo combater os crimes ambientais nos municípios que mais desmatam.

Leia Também:  Querência- Polícia Militar recupera produtos oriundos de vários furtos na cidade

Os principais instrumentos da operação foram o reforço das forças de Segurança, o monitoramento em tempo real por satélite de todo o território de Mato Grosso, a fiscalização contínua, o embargo de áreas, a apreensão e remoção de maquinários flagrados em uso para o crime, e a responsabilização de infratores. 

Integram a iniciativa as Secretarias de Estado de Meio Ambiente, de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Mulher que ateou fogo no marido em Tangará da Serra é presa pela Polícia Civil logo após o crime

Publicados

em


Assessoria | Polícia Civil-MT

Uma mulher que ateou fogo no corpo do marido na manhã desta segunda-feira (14.06), no município de Tangará da Serra (239 km a médio norte de Cuiabá) foi presa em flagrante pela Polícia Civil, logo após cometer o crime. A mulher, 28 anos, foi localizada próximo a unidade de saúde em que a vítima foi socorrida e foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio qualificada por meio insidioso e uso de fogo.

O marido de 37 anos encontra-se internado em estado grave de saúde com cerca de 40% do corpo queimado. A prisão da suspeita ocorreu logo após a equipe da Polícia Civil de Tangará da Serra ser acionada para atender a ocorrência de um homem que havia entrada na Unidade Pronto Atendimento (UPA) com graves queimaduras pelo corpo.

A vítima apresentava queimaduras de 1º grau em 40% do corpo, bem como encontrava-se intubada e seu estado de saúde considerado grave. Durante o atendimento da ocorrência, os policiais civis identificaram a esposa da vítima como a autora da tentativa de homicídio. A suspeita foi localizada logo em seguida, nas proximidades da UPA, e ao ser abordada, confessou que ateou fogo no marido.

Leia Também:  Força Tática apreende revólver e 5 munições durante patrulhamento em Araguaiana

Questionada, ela alegou que na noite anterior, o marido havia a agredido, e na manhã desta segunda-feira (14) iniciaram uma nova discussão. A vítima então foi para o banheiro, ocasião em que a suspeita ficou o aguardando com uma bacia com álcool e fósforo, sendo a vítima surpreendida no momento em que saia do recinto. Mesmo após ter o corpo em chamas, a vítima foi dirigindo até UPA, onde foi socorrida.

Segundo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, a suspeita alegou que ateou fogo no marido para se defender, porém a versão não convence, uma vez que ela ficou aguardando para atacar a vítima. “Ela aproveitou o momento em que a vítima saiu do banheiro para jogar o álcool e em seguida o fósforo aceso. Como na primeira tentativa o fósforo não pegou fogo, então ela acendeu um segundo palito, conseguindo incendiar o corpo da vítima”, explicou o delegado.

Diante das evidências, a mulher foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio qualificada por meio insidioso e uso de fogo.

Fonte: PJC MT
Leia Também:  Empresária denuncia funcionário por vender produtos dando desconto demais e não dar baixa no sistema em MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA