ÁGUA BOA

Policial

Polícia Civil prende nono envolvido em crime de roubo de gado em Nossa Sra. do Livramento

Publicado em

Policial


Assessoria/Polícia Civil-MT

Mais um envolvido em um crime de roubo de gado ocorrido no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao sul de Cuiabá) teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (12.07), na quarta fase da “Operação Boi Brabo”, deflagrada com base em investigações da Delegacia de Poconé (104 km ao sul de Cuiabá).

O suspeito foi apontado como um dos executores do roubo que também contou com a participação de um menor de idade. No total, oito pessoas envolvidas no roubo foram presas nas quatro fases da operação.

O menor que teve a participação identificada no roubo foi apreendido por força de mandado de internação por envolvimento em outro roubo na cidade, porém também já foi representada pela ordem de internação por envolvimento neste caso.

Os suspeitos respondem pelos crimes de roubo majorado pelo concurso de pessoas, restrição de liberdade das vítimas e pelo emprego de arma de fogo e associação criminosa armada.Segundo o delegado, Maurício Pereira Maciel, nas investigações foram instaurados dois inquéritos policiais, que já foram concluídos e estão na 4ª Vara Criminal de Várzea Grande.

Leia Também:  Polícia Militar de Nova Xavantina prende oito suspeitos ligados à facção criminosa e ao tráfico

“Em relação ao primeiro inquérito, cindo presos foram denunciados e no segundo, são mais três denunciados, totalizando oito presos, sendo um deles em flagrante no dia do crime e sete por força de mandado de prisão, além do menor apreendido”, explicou o delegado.

Relembre o caso

O crime ocorreu no dia 05 de janeiro, em uma propriedade na zona rural de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao sul de Cuiabá), quando funcionários e suas famílias foram rendidos e mantidos como reféns, trancados em um dos cômodos da sede da fazenda por aproximadamente 19 horas.

Do local foram roubados 82 cabeças de gado, cada uma avaliada em torno de R$ 2,5 mil,  localizadas e recuperadas pelos policiais civis e militares poucas horas depois do crime. Na ocasião, uma pessoa foi presa em flagrante delito.

No decorrer das investigações para esclarecimento do roubo, foram ouvidas várias pessoas, entre suspeitos, testemunhas e vítimas, bem como foram colhidos indícios e diversos elementos de prova que possibilitaram a representação dos mandados e deflagração de quatro fases da operação. .

Leia Também:  Água Boa - Polícia Militar prende três por tráfico de drogas

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Helicóptero que caiu com quase 300 kg de cocaína em MT está em nome de policial civil

Publicados

em

Cocaína apreendida em aeronave, em Poconé - Foto: CIOPAER

O papiloscopista Ronney José Barbosa Sampaio, do Distrito Federal, afirmou que o helicóptero foi vendido em maio, mas o comprador não concluiu a transferência.

A aeronave que caiu numa fazenda da zona rural de Poconé (100 km da Capital) no domingo (1º), apreendida com quase 300 kg de cloridrato de cocaína, está no nome do policial civil do Distrito Federal Ronney José Barbosa Sampaio.

A aeronave de asa rotativa, modelo Robson R44, foi encontrada durante uma operação deflagrada pela Polícia Federal com apoio do Grupo Estadual de Segurança na Fronteira (Gefron), Polícia Militar (PM) e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Foi constatado o nome do servidor como proprietário da aeronave após verificação da matrícula do helicóptero junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O G1 do Distrito Federal conseguiu contato com Ronney, que respondeu ter vendido a aeronave em maio e possuir toda documentação para provar, com recibo registrado no dia 25 de maio de 2021.

“Eu tenho todos os documentos da venda do helicóptero, fiz a transferência da minha parte. Mas esse processo é igual venda de carro. Se o comprador não fizer a transferência para ele também, vai continuar no meu nome”, disse o policial.

Leia Também:  Suspeitos são presos com arma de fogo e mandados de buscas são cumpridos em ações conjuntas

Questionado quem seria o comprador, o policial respondeu que foi um morador do Mato Grosso do Sul (MS).

Ronney ressaltou que comprou o helicóptero a cerca de um ano, mas não teve condições financeiras para ‘acertar’ a documentação, então, decidiu vender.

Ele explicou ainda que o helicóptero não poderia estar sendo usado, pois, “não estava aero navegável e não tinha autorização para voar”.

Olho no Araguaia – (com informações G1/DF).

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA