ÁGUA BOA

Política

Audiência pública discute realidade dos agentes comunitários de saúde de MT

Publicado em

Política


Foto: Helder Faria

As principais demandas dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias de Mato Grosso foram discutidas durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, na tarde desta segunda-feira (12). A solicitação para realização da audiência pública foi feita pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP), em razão do Dia do Agente Comunitário de Saúde, comemorado no dia 10 de julho. 

“Sabemos das dificuldades que os agentes comunitários de saúde e de endemias enfrentam diariamente. Eles representam a maior categoria do Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil e têm os menores salários. Muitos profissionais não têm condições de manter suas próprias residências. Precisamos ter um olhar diferenciado para eles”, frisou o deputado.

Com a atualização da Lei Federal de nº 11.350/2006 pela Lei Federal 13.708/2018, a presença do agente comunitário de saúde tornou-se essencial e obrigatória na estratégia de saúde da família e o agente de combate às endemias, na estrutura de vigilância epidemiológica e ambiental. A categoria, no entanto, ainda busca a garantia de direitos assegurados por lei, como o pagamento do piso salarial nacional de R$ 1.550,00, estabelecido pela Lei nº 13. 708/2018.

Leia Também:  TCE-MT emite parecer prévio contrário à aprovação das contas de governo de Luciara

Segundo a presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Estado de Mato Grosso (SINDACS/MT), Dinorá Magalhães, esse valor é enviado pelo governo federal, mas alguns municípios mato-grossenses não o repassam na integralidade aos trabalhadores.

“Os gestores que não repassam o que vem do governo federal para esses profissionais estão cometendo um crime. Esse dinheiro não sai dos municípios, ele vem do Ministério da Saúde. O piso da categoria é R$ 1.550,00, então ninguém pode ganhar menos que isso. Pedimos aos gestores que sejam corretos e repassem aos profissionais o que é devido a eles”, disse.

Outra demanda refere-se à regulamentação do vínculo jurídico dos agentes comunitários de saúde junto à administração pública mediante certificação, conforme determina a Emenda Constitucional 51/2006, regulamentada pela Lei Federal 11.350/2006. 

Conforme Cláudio Mamoré, assessor jurídico do sindicato, a categoria busca a continuidade e permanência no quadro funcional dos municípios, com o reconhecimento e garantias de todos os seus direitos, visto que passaram por processo seletivo público. Para isso, aguarda o processo de certificação por parte dos gestores municipais e encaminhamento para a homologação no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Leia Também:  Querência recebe nova ambulância

O deputado Paulo Araújo lembrou que ambas as demandas estão contempladas no Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 7/2020, de sua autoria, que está em tramitação no Parlamento estadual, e afirmou que tem participado de reuniões junto ao TCE para tentar resolver os imbróglios jurídicos que dificultam a regularização do vínculo jurídico da categoria. 

A falta de uniformes e de materiais para execução do trabalho – como protetor solar, chapéu e prancheta – e a necessidade de aquisição de tablets para que os trabalhadores possam inserir os dados em tempo real no sistema do SUS também foram destacadas durante a audiência pública. Representantes da categoria contaram que precisam arcar com os cursos dos materiais para conseguirem trabalhar.

Paulo Araújo afirmou que irá agendar uma reunião com o governador Mauro Mendes para tratar da aquisição dos tablets e também apresentará a demanda aos senadores mato-grossenses. Para a aquisição de equipamentos e materiais, comprometeu-se a destinar parte dos recursos de suas emendas parlamentares de 2022.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Xuxu Dal Molin destaca importância de pavimentação de rodovia em Sorriso

Publicados

em


Foto: Marcos Lopes

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) comemorou a publicação da licitação para contratação de empresa de engenharia para execução dos serviços de implantação e pavimentação da rodovia MT-443, na comunidade Barreiro, em Sorriso.

Publicada no último dia 26, pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), a licitação prevê investimentos na ordem de R$ 22 milhões -recursos provenientes do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) – para a pavimentação da rodovia responsável pela ligação da MT-242 com a BR-163.

 O prazo para execução dos serviços é de 360 dias, a contar da emissão da ordem de início pela secretaria-adjunta de Obras Rodoviárias (Saor).

 “A conclusão desse trecho representa um enorme avanço no que diz respeito ao escoamento de grãos. Outra vantagem é a garantia de acessibilidade para estudantes e demais moradores da região”, avalia Dal Molin, ao relembrar que em 2019, articulou, junto ao secretário Marcelo de Oliveira e Silva (Sinfra), o levantamento de ações e obras que deveriam ser implementadas na região.

Leia Também:  Lúdio Cabral requer explicação sobre 70 mil doses de Coronavac que podem ter sido perdidas em MT

 Segundo o parlamentar, à época, o gestor havia assegurado a implementação dos projetos que incluíam, entre outros, a pavimentação e a construção de pontes de concreto em pelo menos quatro rodovias da região.

 “Uma demanda que perdurou por aproximadamente 15 anos está prestes a ser atendida. Isso demonstra, claramente, que quando conciliamos planejamento e o bom uso dos recursos públicos, as coisas tendem a sair do papel. Finalmente o produtor rural está vendo para onde é revertido o Fethab arrecadado pelo Estado”, avalia Xuxu Dal Molin.

Transparência

Conforme noticiado pelo governo, o processo licitatório segue o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), do tipo menor preço. A abertura das propostas está prevista para o dia 12 deste mês, às 9h, na sala de reuniões da Sinfra e poderá ser acompanhado em tempo real pelo canal da pasta no Youtube.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA