ÁGUA BOA

Saúde

Anvisa autoriza importação de doses da Coronavac para São Paulo

Publicado em

Saúde


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação, em caráter excepcional, de 4 milhões de doses da vacina contra a covid-19 Coronavac. A solicitação foi feita pelo governo de São Paulo para uso exclusivo no estado, sem passar pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde.

Nesta semana, o governo de São Paulo anunciou a aquisição dos imunizantes como parte do esforço para antecipar o calendário de imunização do estado. A meta é aplicar a 1ª dose em todos os paulistas com mais de 18 anos até 15 de setembro.  

A medida foi tomada a partir da permissão de importação direta por estados prevista na resolução da Anvisa Nº 476 de 2021. A Coronavac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac, tem autorização para uso emergencial no Brasil.

O quantitativo foi fechado para recebimento em duas remessas, uma de 2,7 milhões de doses e uma de 1,3 milhão. A decisão da agência autoriza novas remessas, desde que não haja alterações das condições.

Leia Também:  Covid-19: plano de reabertura do Rio depende da adesão à vacina

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Rio: 24 cidades estão sem mortes por covid-19 há duas semanas    

Publicados

em


Dos 92 municípios do estado do Rio, 24 estão há duas semanas sem registrar mortes por covid-19. O levantamento é de técnicos da Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgado nesta sexta-feira (30). A análise levou em consideração dados das semanas epidemiológicas 27 e 28, período de 4 a 17 de julho.

As cidades sem óbitos provocados pela doença são: Aperibé, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cambuci, Cantagalo, Cardoso Moreira, Carmo, Comendador Levy Gasparian, Cordeiro, Duas Barras, Italva, Itaocara, Laje do Muriaé, Macuco, Miguel Pereira, Paracambi, Paty do Alferes, Rio das Flores, Santa Maria Madalena, São José de Ubá, São Sebastião do Alto, Sumidouro, Trajano de Moraes e Varre-Sai.

O secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe disse que é importante destacar que essa análise não pode ser feita com semanas tão próximas. “É preciso respeitar 15 dias, ao menos, para que as informações estejam mais consolidadas. O resultado é consequência da vacinação no estado do Rio de Janeiro, que já atingiu mais de 50% de toda população fluminense adulta com ao menos uma dose da vacina”, avaliou.

Leia Também:  Dia Nacional do Teste do Pezinho destaca benefícios do exame

A secretaria informou ainda que muitos casos são notificados após a data do óbito. Por essa razão, desde o início da pandemia, recomenda-se que a análise das informações seja feita pela data de ocorrência da morte; e não pela data de notificação ou confirmação.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA