ÁGUA BOA

Saúde

Covid-19: Rio suspende vacinação de grávidas por falta de doses

Publicado em

Saúde


O Rio de Janeiro suspendeu a vacinação contra a covid-19 com a primeira dose para grávidas e puérperas acima de 18 anos com comorbidade. A causa é a falta de imunizantes da empresa norte-americana Pfizer e da CoronaVac, fabricada pelo Instituto Butantan, em São Paulo, as duas que podem ser aplicadas nesse público.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a cidade aguarda o envio das doses pelo Ministério da Saúde para dar continuidade à imunização do grupo.

“Por orientação do Ministério da Saúde, gestantes e puérperas com comorbidades a partir de 18 anos recebem apenas as vacinas Pfizer e CoronaVac, de acordo com a disponibilidade e o calendário. No momento, o município não conta com nenhuma das duas e aguarda envio pelo ministério. Assim que estas vacinas estiverem disponíveis, nova data para vacinação deste público deverá ser divulgada”, informou a secretaria.

O estado do Rio de Janeiro recebeu ontem (9) 319,4 mil doses de vacina contra a covid-19, todas da Oxford/AstraZeneca, fabricada pela Fiocruz. A aplicação da Oxford/AstraZeneca em grávidas e puérperas está suspensa desde o dia 11 de maio, após um caso de morte de gestante que havia sido vacinada.

Leia Também:  Exames que identificam fungos que afetam sistema nervoso entram no SUS

A capital do estado adiantou o calendário de vacinação por idade e aplicará a primeira dose em pessoas entre 53 e 50 anos na próxima semana, além de profissionais da educação superior, profissionalizante e outros. A previsão inicial da prefeitura era começar a imunização dessa faixa etária na primeira semana de julho.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Médica é nomeada para Secretaria de Enfrentamento à Covid-19

Publicados

em


O ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, nomeou nesta quinta-feira (17) a médica Rosana Leite de Melo como secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, do Ministério da Saúde. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

A médica especializada em cirurgia de cabeça e pescoço era diretora do Hospital Regional de Campo Grande, um centro de referência para o enfrentamento da covid-19 em Mato Grosso do Sul. 

Rosana é professora da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), servidora federal desde 2003 e já ocupou outros cargos no governo, como o de diretora da Divisão de Desenvolvimento na Educação em Saúde do Ministério da Educação, em 2017.

A infectologista Luana Araújo foi a primeira indicada ao cargo e chegou a participar do anúncio de criação da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, em maio, mas a nomeação não foi oficializada.

Em conversa com jornalistas, o ministro da Saúde, Marcelo Queirogo, cogitou para o cargo a atual coordenadora do Plano Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fontana Fontineli, mas ao final acabou preferindo um nome de fora da pasta.

Leia Também:  Veja quantas vacinas cada cidade receberá esta semana em MT

A Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 foi criada em maio por meio de decreto presidencial, com o objetivo de coordenar as medidas de combate à pandemia.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA