ÁGUA BOA

"NUNCA VÍ UMA SITUAÇÃO COMO ESSA"

Alexandre Garcia fala sobre demissão da CNN Brasil

Publicado em

VARIEDADES

“Essa história de fake news é uma invenção para carimbar nas pessoas que contrariam aquilo que eles acham que tem que ser o pensamento dogmático, pensamento único”, disse Alexandre Garcia, em entrevista à Jovem Pan.

Demitido da CNN após defender o tratamento precoce contra a Covid-19, ele segue defendendo o uso de remédios comprovadamente sem eficácia na prevenção à doença.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do “O Globo”, o jornalista de 80 anos está negociando um contrato com a rádio.

“Em 50 anos de jornalismo, em 80 anos de vida, eu nunca vi uma situação como essas, em que se estabelece o que é falso e o que não é. Mas quem estabelece?”, questionou o jornalista em entrevista ao canal “Pingos nos Is”, da Jovem Pan, antes de completar com a resposta.

“[Quem estabelece] é um personagem de órgão, do [livro] ‘1984’, que estabelece isso. Leu na cartilha, teve a cabeça sequestrada por algum professor e resultou nisso. Infelizmente, é isso que estamos vivendo. E o pior de tudo é o silêncio de muitos que deviam estar defendendo a liberdade de expressão”, concluiu.

Leia Também:  Água Boa - Secretaria de Saúde realiza imunização contra covid-19

“É resultado de um tipo de desespero, de muita gente que perdeu a oportunidade de receber dinheiro do governo através de verbas polpudas que compravam muitas publicações, muitas pessoas, Tem 1.000 dias de abstinência, essa abstinência faz roncar o estômago e as bocas, é uma reação, um desespero. Antes era mais fácil. Não precisava de talento, não precisava se ater aos fatos”, declarou ele, que trabalhou 30 anos na Rede Globo.

Olho no Araguaia – ISTOÉ

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

VARIEDADES

Casal viaja mais de 1 mil km para visitar túmulo de Marília Mendonça: ‘Podem passar 100 anos que ela sempre será lembrada’

Aos 26 anos, rainha da sofrência morreu em acidente de avião a caminho de um show em Minas Gerais. Os dois são do Tocantins e acenderam velas e fizeram orações para a cantora em cemitério de Goiânia.

Publicados

em

Após viajar mais de 1 mil km, o autônomo Edilson Carvalho das Flores Junior, de 28 anos, e a esposa, Maria Marcilene Brito da Silva, de 40 anos, visitaram o túmulo de Marília Mendonça, em Goiânia. Ele contou ao g1 que sempre foi fã dela e que não poderia deixar de homenageá-la. O casal acendeu velas e fez orações para a rainha da sofrência. Eles são do Tocantins.

“Ela vai ficar para sempre em nossos nosso corações. Podem passar 50 ou 100 anos que ela vai sempre vai ser lembrada”, disse Edilson.

A visita aconteceu na tarde de terça-feira (16). Aos 26 anos, Marília Mendonça morreu em um acidente de avião a caminho de um show em Minas Gerais. Edilson contou que mora em Araguaína e que conheceu a artista assim que a música “Infiel” ficou famosa e, à época, ela fez um show em sua cidade.

“A música que mais me marcou foi ‘Infiel’ e ‘Alô Porteiro’, porque foi quando ela fez show na nossa cidade e fomos. Eu estava no começo do meu relacionamento. Fomos com amigos. Foi muito bom”, lembrou.

Leia Também:  PM frusta assalto e prende dois ladrões que invadiram banco

Após o show, o casal disse que não parou mais de ouvir as músicas de Marília. O esposo disse ainda que sempre coloca as canções para o filho de 2 anos ouvir e que ele adora. O menino também esteve na visita ao túmulo.

“Ele dança até ouvindo Marília. Tiramos uma foto para mostrar para ele futuramente quem foi Marília Mendonça, como ele é neném, ainda não entende”, disse Edilson.

O casal contou ainda sobre o desespero ao saber da partida precoce da cantora: “Deu um vazio, uma tristeza. Ela era tão jovem, cheia de planos e sonhos. Muito triste. A gente nunca imagina”.

Morte e despedida

Marília morreu no último dia 5 de novembro, em um acidente aéreo em Caratinga (MG). Além dela, também foram vítimas o tio e assessor dela, Abicieli Silveira, o produtor Henrique Bonfim, o piloto e o copiloto do avião.[Marília Mendonça e Henrique Ribeiro, quando cantora estava grávida do bebê Léo — Foto: Reprodução/Redes Sociais]Marília Mendonça e Henrique Ribeiro, quando cantora estava grávida do bebê Léo.

Leia Também:  PRF apreende meia tonelada de cocaína em Mato Grosso

O velório de Marília e do tio dela aconteceu no Ginásio Goiânia Arena, no dia seguinte ao acidente, sob muita comoção de fãs, familiares e cantores famosos, entre eles, Henrique e Juliano, Maiara e Maraisa e Jorge e Mateus.

Milhares de fãs passaram pelo local para se despedir da artista. Após o velório, os corpos seguiram em cortejo em caminhões do Corpo de Bombeiros pela GO-020 até o Cemitério Parque Memorial, onde foram enterrados.[Pilotos e técnico da Cenipa colhem pistas do avião que caiu causando a morte da cantora Marília Mendonça e mais quatro pessoas.
Centenas de carros e vários ônibus de duplas sertanejas seguiram o cortejo. O sepultamento foi fechado à família e amigos próximos.
Marília Mendonça nasceu em Cristianópolis em 22 de julho de 1995. Entre os seus grandes sucessos, que a colocaram como uma das cantoras mais ouvidas do país, estão “Infiel”, “De quem é a culpa?” e “Eu sei de cor”.

Olho no Araguaia/G1

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA