ÁGUA BOA

SEM HOMENAGENS

Jornalista Marcos Uchôa revela mágoa da Globo após demissão

Ele afirma que não foi chamado de propósito para a comemoração dos 50 anos de jornalismo da emissora

Publicado em

VARIEDADES

Durante 34 anos, Marcos Uchôa foi um dos principais jornalistas da rede Globo. Contudo, o repórter pediu demissão da emissora no final de 2021. Em entrevista recente, ele afirmou que, mesmo com várias coberturas de sucesso no currículo, guarda mágoas da emissora.

Ao podcast Inteligência Limitada, apresentado por Rogério Vilela Veja, o profissional revelou que ficou chateado por não ter sido chamado para uma série de homenagens feitas quando o canal completou 50 anos de jornalismo.

“Teve uma coisa que na Globo me magoou. Em 2015, a Globo comemorava 50 anos de jornalismo, e foi feita uma série de homenagens no Jornal Nacional. Eu apareci, dentro de reportagens, mas foram convidados jornalistas desses anos todos para participar de uma mesa. Eram mais de 10. Uns 15, bastante gente. Eu não fui convidado”, contou. O episódio aconteceu há sete anos.

Durante a carreira, o jornalista cobriu guerras, desastres naturais, Copas do Mundo e Jogos Olímpicos.

“Na minha carreira, fiz mais do que a maioria que estava ali. Diria até que fiz mais do que todos que estavam ali, em relação à variedade de reportagens”.

Leia Também:  Bancos reduzem previsão de inflação após teto do ICMS em combustíveis

“Não queria que tirassem ninguém dali. Agora, acho que eu não ter sido convidado foi um problema pessoal de quem estava escolhendo. Aquilo foi para me machucar, e me machucou. A decisão era dos chefes e eles fizeram o que quiseram fazer. Muita gente, nas ruas, disse que era um absurdo eu não estar ali”, finalizou.

Olho no Araguaia/Midia News

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

VARIEDADES

Casal viaja mais de 1 mil km para visitar túmulo de Marília Mendonça: ‘Podem passar 100 anos que ela sempre será lembrada’

Aos 26 anos, rainha da sofrência morreu em acidente de avião a caminho de um show em Minas Gerais. Os dois são do Tocantins e acenderam velas e fizeram orações para a cantora em cemitério de Goiânia.

Publicados

em

Após viajar mais de 1 mil km, o autônomo Edilson Carvalho das Flores Junior, de 28 anos, e a esposa, Maria Marcilene Brito da Silva, de 40 anos, visitaram o túmulo de Marília Mendonça, em Goiânia. Ele contou ao g1 que sempre foi fã dela e que não poderia deixar de homenageá-la. O casal acendeu velas e fez orações para a rainha da sofrência. Eles são do Tocantins.

“Ela vai ficar para sempre em nossos nosso corações. Podem passar 50 ou 100 anos que ela vai sempre vai ser lembrada”, disse Edilson.

A visita aconteceu na tarde de terça-feira (16). Aos 26 anos, Marília Mendonça morreu em um acidente de avião a caminho de um show em Minas Gerais. Edilson contou que mora em Araguaína e que conheceu a artista assim que a música “Infiel” ficou famosa e, à época, ela fez um show em sua cidade.

“A música que mais me marcou foi ‘Infiel’ e ‘Alô Porteiro’, porque foi quando ela fez show na nossa cidade e fomos. Eu estava no começo do meu relacionamento. Fomos com amigos. Foi muito bom”, lembrou.

Leia Também:  Barra do Garças sobe no Ranking de Qualidade da Informação Contábil do Tesouro Nacional

Após o show, o casal disse que não parou mais de ouvir as músicas de Marília. O esposo disse ainda que sempre coloca as canções para o filho de 2 anos ouvir e que ele adora. O menino também esteve na visita ao túmulo.

“Ele dança até ouvindo Marília. Tiramos uma foto para mostrar para ele futuramente quem foi Marília Mendonça, como ele é neném, ainda não entende”, disse Edilson.

O casal contou ainda sobre o desespero ao saber da partida precoce da cantora: “Deu um vazio, uma tristeza. Ela era tão jovem, cheia de planos e sonhos. Muito triste. A gente nunca imagina”.

Morte e despedida

Marília morreu no último dia 5 de novembro, em um acidente aéreo em Caratinga (MG). Além dela, também foram vítimas o tio e assessor dela, Abicieli Silveira, o produtor Henrique Bonfim, o piloto e o copiloto do avião.[Marília Mendonça e Henrique Ribeiro, quando cantora estava grávida do bebê Léo — Foto: Reprodução/Redes Sociais]Marília Mendonça e Henrique Ribeiro, quando cantora estava grávida do bebê Léo.

Leia Também:  PEC das 'bondades' deve ser votada hoje sem preocupação eleitoral

O velório de Marília e do tio dela aconteceu no Ginásio Goiânia Arena, no dia seguinte ao acidente, sob muita comoção de fãs, familiares e cantores famosos, entre eles, Henrique e Juliano, Maiara e Maraisa e Jorge e Mateus.

Milhares de fãs passaram pelo local para se despedir da artista. Após o velório, os corpos seguiram em cortejo em caminhões do Corpo de Bombeiros pela GO-020 até o Cemitério Parque Memorial, onde foram enterrados.[Pilotos e técnico da Cenipa colhem pistas do avião que caiu causando a morte da cantora Marília Mendonça e mais quatro pessoas.
Centenas de carros e vários ônibus de duplas sertanejas seguiram o cortejo. O sepultamento foi fechado à família e amigos próximos.
Marília Mendonça nasceu em Cristianópolis em 22 de julho de 1995. Entre os seus grandes sucessos, que a colocaram como uma das cantoras mais ouvidas do país, estão “Infiel”, “De quem é a culpa?” e “Eu sei de cor”.

Olho no Araguaia/G1

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

AGUA BOA

VALE DO ARAGUAIA

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA